(49) 9 9989.9002

Acadêmicos de Engenharia Florestal auxiliam escoteiros no plantio de árvores

16 de setembro de 2016 - 13:45 / UNOESC na Comunidade | Comentários
Acadêmicos de Engenharia Florestal auxiliam escoteiros no plantio de árvores

 

Plantio de mudas e sementes, contato com a natureza, conscientização e descontração. Tudo isso marcou a participação de acadêmicos do curso de Engenharia Florestal, da Unoesc Xanxerê, em uma atividade realizada pelos escoteiros do município.

Na oportunidade, os acadêmicos Welinton Michel de Vicentin Nunes (8ª fase) e Darlei Wünsch (6ª fase) auxiliaram 20 escoteiros, do Grupo Escoteiro Caingangue, de Xanxerê, a plantarem mudas durante os 1ºs Jogos Olímpicos dos Escoteiros, ocorrido no final do mês passado, no sítio Vô Albino (município de Ouro Verde).

O viveiro da Unoesc doou 30 mudas — entre araçá, guaviju, imbuia, pitanga, cereja, chal-chal e murtilio —, além de sementes de jaca e de abacate, e os dois acadêmicos se prontificaram a auxiliar os lobinhos (Alcateia) no plantio. Assim, cada escoteiro plantou uma muda e uma semente, durante os dois dias da competição, às margens de um riacho.

“Nesse momento, repassamos informações sobre os cuidados para o correto plantio das mudas, instruções de preservação da mata ciliar e do meio ambiente, formas de identificação de espécies (diferença entre exóticas e nativas) e o papel do engenheiro florestal na sociedade”, explica o acadêmico Welinton Nunes.

Além do plantio, os lobinhos realizaram outras atividades e provas, como corrida de sacos, saltos em distância e chutes ao gol.

 

Conhecimento e conscientização

Na avaliação dos acadêmicos, a atividade foi produtiva.

“Os escoteiros aprenderam a identificar as espécies e compreenderam a função de preservar a natureza. É fundamental educar as crianças dessa idade para os cuidados com o meio ambiente”, analisam.

O lobinho Henrique Cechin, de 10 anos, confirma isso:

“Gostei das atividades, pois aprendi a plantar uma semente e cuidar das árvores. Ainda, aprendi que devemos irrigar com frequência a muda que plantamos, mas não em excesso, pois pode prejudicar o desenvolvimento da planta. Enfim, gostei tanto do que aprendi que, no futuro, pretendo cursar Engenharia Florestal”, assinala.

Seu colega Paulo Henrique Tovo Romani Tovo, de 8 anos, também considerou a atividade bastante instrutiva.

“Achei interessante o conhecimento dos acadêmicos de identificação de plantas e do plantio. Eles souberam explicar a posição correta para o plantio da semente e das mudas. Gostaria que as pessoas se conscientizassem para desmatar e poluir menos, para termos mais florestas e animais”, revela.

E o chefe Valter José Ebertz, responsável pela seção da Alcateia do Grupo Escoteiro Caingangue, agradeceu a colaboração prestada pelos acadêmicos da Unoesc Xanxerê.

“A dedicação, o carinho e o empenho que os acadêmicos dispensaram a cada lobinho e aos velhos lobos proporcionaram momentos especiais, de aprendermos muito sobre a flora e o curso de Engenharia Florestal. Sequer imaginávamos sobre a importância e abrangência desse curso oferecido pela Unoesc Xanxerê”, avalia.

 

Por: UNOESC na Comunidade

Deixe seu comentário