(49) 9 9989.9002
(49) 3433.3173

Programa SC Rural certifica propriedades rurais como livres de brucelose e tuberculose

7 de abril de 2016 - 15:23 / Agricultura Rural | Comentários
Programa SC Rural certifica propriedades rurais como livres de brucelose e tuberculose (Foto: Cidasc)

Programa SC Rural espera superar a meta e certificar mais de 700 estabelecimentos rurais como livres de brucelose e tuberculose em todo o Estado. A certificação valoriza o leite produzido e também garante a saúde dos produtores e dos bovinos. O trabalho feito com recursos do SC Rural é desenvolvido em parceria por técnicos da Cidasc, da Epagri e de cooperativas de até o momento já certificou 627 propriedades.

Com a certificação, os produtores conseguem um preço melhor pelo litro de leite e os consumidores têm acesso a um produto de melhor qualidade, dentro de um padrão sanitário aceito internacionalmente. Segundo o engenheiro agrônomo e secretário executivo do SC Rural para a região de São Miguel do Oeste, Mateus Seganfredo, o preço do litro de leite produzido em propriedades certificadas gira em torno de R$ 1,30, valor que representa um ganho em torno de R$0,20 por litro em relação ao leite de propriedades não certificadas.

Consolidada como uma das principais bacias leiteiras do Estado, a região do Extremo-Oeste caminha para obter uma ampla cobertura de propriedades com certificação como livres de brucelose e tuberculose. Os irmãos Vunibaldo e Nestor Welchen, associados da Cooperativa Mista da Agricultura Familiar de São João do Oeste (Copafasjo) são donos da primeira propriedade rural certificada como “livre de brucelose e tuberculose” do município. E até setembro deste ano, a Cooperativa deve ter mais 132 propriedades certificadas, o que representa um plantel de mais de 5.300 animais (incluindo bezerras e novilhas) e uma produção de 12 milhões litros de leite/ano.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, lembra que Santa Catarina é o Estado brasileiro com o menor índice de brucelose no rebanho e a intenção é que, até 2017, menos de 0,2% das propriedades rurais tenham animais doentes, condição definida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como zona livre de brucelose. “A certificação das propriedades pelo SC Rural traz mais segurança tanto para os produtores quanto para os consumidores, além de valorizar o leite produzido”.

SC Rural segue o Código Zoosanitário Internacional

A certificação do SC Rural cumpre normas técnicas do Código Zoosanitário Internacional e qualifica o leite produzido inclusive para a exportação. De acordo com Seganfredo, o trabalho de certificação estende-se por cerca de um ano com acompanhamento in loco dos plantéis por médicos veterinários credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, supervisionados pela Cidasc. “Os veterinários realizam coletas para análise de sangue dos animais e os testes em todo o rebanho são repetidos até se obter três resultados sem um único animal reagente positivo ao longo de um período mínimo de nove meses. Uma vez saneada, a propriedade recebe o certificado de sanidade para brucelose e tuberculose”.

Os testes de diagnóstico para brucelose são realizados exclusivamente em fêmeas com idade igual ou superior a 24 meses, desde que vacinadas a partir dos oito meses de idade e em machos e fêmeas não vacinadas, a partir dos 8 meses de idade. Já os testes de diagnóstico de tuberculose abrangem todos os animais com idade igual ou superior a seis semanas. As propriedades certificadas são obrigadas a repetir os testes anualmente, em todos os animais.

Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário