(49) 9 9989.9002

Associações de recicladores iniciam trabalhos em novo espaço

12 de fevereiro de 2018 - 09:19 / Comunidade Obras Xanxerê | Comentários
Associações de recicladores iniciam trabalhos em novo espaço (Fotos: Patrícia Silva/Lance Notícias)

 

Nesta segunda-feira (12), as associações Vida Nova e Arxan iniciaram os trabalhos no novo espaço. O barracão fica localizado próximo ao parque da Femi, mas não oferece as condições mínimas de trabalho, como banheiro para que os trabalhadores fiquem no local.

Em contato com Adão Moreira, da associação Vida Nova, o mesmo comenta que as associações estão paradas há cerca de três semanas e que neste tempo o proprietário do local se comprometeu em fazer os banheiros e uma rampa de acesso ao barracão, para entrada dos caminhões, o que não ocorreu. Mesmo assim, as associações iniciam os trabalhos hoje (12), pois cada dia parado é mais prejuízo para as famílias.

“Hoje vem o caminhão da coleta seletiva já trazer material para nós começar a trabalhar. Ainda não temos banheiros no local e não sei se o caminhão entra no pátio, porque precisava de uma carga de cascalho aqui na frente, mesmo assim vamos começar os trabalhos. O pessoal tinha se comprometido em arrumar o espaço, mas não fizeram. Mesmo assim nós temos que trabalhar, já ficamos quase um mês parado, estamos com contas atrasadas”, comenta Adão Moreira.

O Ministério Público tem acompanhado a situação dos recicladores de Xanxerê. O promotor de Justiça, Marcos Augusto Brandalise, explica que o MP entrou com uma ação contra o município, para que esse dê o suporte necessário para os catadores, para que eles possam fazer os seus trabalhos com dignidade.

“Nós entramos com a ação, ganhamos a liminar, a Justiça colheu a determinação do Ministério Público e determinou que em 30 dias o município providenciasse a locação de um imóvel, que pudesse ter habite-se e que a gente pudesse dar prosseguimento no processo dos recicladores. Nós acabamos entrando com ação, porque onde eles estavam o proprietário pediu de volta o espaço. Nós vamos chamar os catadores, ver se eles concordam com o novo local, se este possui condições de habite-se, mas sem as condições que nós pedimos nós não vamos aceitar, que é: barracão com condições de trabalho”, diz o promotor.

O promotor detalha ainda que se o local não possuir habite-se, ele não poderá ser locado para os catadores.

“Quando foi feito o acordo, ficou decidido que o município locaria o espaço, então o município repassou o valor para cada associação, que são duas. Eles pagavam R$1500 para cada uma, mas não foi esse o acordado. Porque colocar esse valor na mão deles, eles não possuem um conhecimento técnico para saber administrar se o local condiz com a necessidade deles, pois são pessoas que necessitam de bastante qualificação, então, eles acabaram locando o primeiro barracão que encontraram que não possuía condições de habite-se. Eles não conseguem desempenhar as funções sem licença e para ter licença precisa ter habite-se, então, agora, eles precisam desse local com habite-se. O licenciamento é fundamental”, finaliza o promotor.

Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário