(49) 9 9827.3230

Cerca de 600 famílias que tiveram suas casas atingidas pelo tornado não receberam doações, aponta CPI

3 de agosto de 2017 - 09:44 / Comunidade Tornado Xanxerê | Comentários
Cerca de 600 famílias que tiveram suas casas atingidas pelo tornado não receberam doações, aponta CPI (Foto: divulgação/Dado Oliveira)

A Comissão da CPI do Tornado tem por objetivo investigar as denúncias recebidas referentes ao tornado que atingiu Xanxerê em 20 de abril de 2015. Em julho deste ano, a comissão revelou algumas irregularidades encontradas durante a investigação do processo.

Nesta quarta-feira (02), Vilson Piccoli, presidente da CPI, realizou a entrega do processo ao relator da investigação. De acordo com o presidente, essa é a fase final.

“Estamos na terceira fase, que é a fase final. A primeira fase foi a junção da documentação onde solicitamos para a Prefeitura e para a Defesa Civil, toda a documentação cadastrada do material e do dinheiro que foram destinadas ao setor público. A segunda fase, foi a das oitivas e as comparações, onde comparávamos a documentação com os depoimentos. Nesta quarta-feira, nós concluímos esse processo que foi entregue ao relator”.

O processo possuí mais de 500 páginas e deve ser concluído dentro de 40 dias. “Tivemos um processo de quase 500 páginas. Fizemos um pequeno relatório contábil e entreguemos o processo para o relator João Paulo Menegatti. Agora ele tem de 30 a 40 dias para desenvolver o relatório e fazer a entrega oficial na Câmara de Vereadores. Se constatando alguma irregularidade, vamos remeter ao Ministério Público”.

 

Atos de irregularidades detectados

 

Mais de 600 famílias não receberam doações

Durante as investigações foram detectados alguns atos de irregularidades. Piccoli diz que existem uma série de fatos que não condizem com a realidade.

“Além do que foi divulgado encontramos uma série de fatos que não condizem com a realidade e com o que ocorreu na época do tornado. Nós temos hoje, através de pesquisas de mercado e através de comprovações, que 2.118 casas foram atingidas pelo tornado e detectamos que mais de 600, não tiveram o recebimento de nenhum recurso. Isso comprovado, através de pesquisa pública e oficial, e também dos depoimentos”.

Relatórios que foram negados nas oitivas

“Muitas das coisas que vieram no relatório, foram negadas nas oitivas e na documentação da prefeitura. Não há assinatura dos moradores. Então no final, nós vamos entregar ao Promotor e ele vai decidir o que fazer neste caso”.

Materiais distribuídos

“Há uma diferença muito grande de materiais que não foram distribuídos. Temos muitos materiais que vieram para Xanxerê, que foi comprovado o recebimento, e não foram doados.  E também nós não conseguimos descobrir onde estão esses materiais”.

Furto das notas fiscais dificultaram o trabalho

“Registramos mais de 25 casos de extrema relevância que prejudicou as investigações devido ao furto das notas fiscais. Mas nós vamos buscar esclarecer para a população como está esse procedimento das investigações”.

Doações em bairros que não foram atingidos

“Recebemos duas denúncias de famílias que receberam doações que residem em bairros que não foram atingidos pelo tornado. Então são bastante casos que serão esclarecidos para a população”.

Para finalizar Piccoli ressalta que foram dois meses de trabalho intenso. “A parte da presidência da CPI está concluída. Neste período nós fizemos as comparações, as oitivas, os levantamentos de dados. Foram dois meses de trabalho intenso. Após a conclusão do relatório, vamos encaminhar o mesmo para o Ministério Público para as devidas providências”, finaliza.

Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário