Cidasc orienta a população no Dia Mundial de Combate à Raiva

28 de setembro de 2017 15:33 | Animais , Comunidade , Lance Notícias Compartilhar no Whatsapp
Cidasc orienta a população no Dia Mundial de Combate à Raiva Arte: Ascom/Cidasc

Esta quinta-feira (28) é o Dia Muncial de Combate à Raiva, uma doença fatal que acomete todos os mamíferos, inclusive os seres humanos. A doença, que é transmitida por animais domésticos, de produção e silvestres ataca o Sistema Nervoso Central (cérebro), causando mudança de comportamento, paralisia e, por vezes, agressividade.

O animal doente elimina o vírus da raiva pela saliva. Por isso, não devemos colocar a mão na boca de cavalos ou bovinos que estejam com dificuldade de locomoção e/ou salivação intensa. Cães, gatos e animais silvestres transmitem a doença pela mordida.

Morcegos

Os morcegos são transmissores da raiva, portanto jamais coloque a mão em um morcego mesmo que ele esteja imóvel e aparentemente morto. Ele pode estar doente e, ao ser tocado, morder, pois é assim que ele se defende. O morcego hematófago da espécie Desmodus rotundus é o responsável pela transmissão da doença para os herbívoros.

O médico veterinário e responsável pelo Programa de Controle da Raiva dos Herbívoros, Fábio de Carvalho Ferreira, ressalta que as demais espécies de morcegos hematófagos e não hematófagos são protegidos por lei e seu manejo e controle caracteriza crime ambiental. Por isso, somente profissionais capacitados, do Serviço Veterinário Oficial (SVO), podem intervir em colônias de morcegos em área de risco para a raiva, porque são capazes de diferenciar as espécies de morcegos em um abrigo.

Em caso de acidente com um desses animais procure um hospital ou posto de saúde mais próximo, relate o ocorrido e exija o tratamento adequado.

Para ajudar no controle da raiva

– Vacine seu rebanho contra a raiva;

– Informe ao escritório da Cidasc mais próximo sempre que seus animais ficarem doentes e apresentarem dificuldade para caminhar, se alimentar e/ou manifestar agressividade

– Caso seus animais tenham marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, comunique a Cidasc, mesmo que não estejam doentes;

– Avise ao médico veterinário da Cidasc se souber de algum local que possa abrigar morcegos hematófagos, tais como, cavernas; grutas; ocos de árvore; túneis; bueiros; passagem sob rodovias, cisternas e poços; casas e construções abandonadas.

Atenção: Nunca tente capturar um morcego, chame um profissional capacitado para removê-lo adequadamente.

Programa de Controle da Raiva dos Herbívoros em Santa Catarina

O PCRH em Santa Catarina tem como estratégias de atuação o controle da população de transmissores (morcegos hematófagos da espécie Desmodus rotundus); a vacinação dos herbívoros domésticos em situações específicas; a vigilância epidemiológica; o monitoramento sistemático e cadastramento de abrigos de morcegos e a educação em saúde e capacitação dos profissionais do Serviço Veterinário Oficial (SVO).

 

Fonte: Governo do Estado de Santa Catarina 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais