(49) 9 9827.3230

Condições climáticas estão favorecendo a proliferação do mosquito da dengue

13 de janeiro de 2017 - 09:30 / Comunidade Dengue | Comentários
Condições climáticas estão favorecendo a proliferação do mosquito da dengue Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias

No período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2016, foram notificados 13.932 casos suspeitos de dengue em Santa Catarina. Desses, 4.376 (31%) foram confirmados (3.473 pelo critério laboratorial e 903 pelo critério clínico epidemiológico, 642 (5%) estão inconclusivos (classificação utilizada no Sinan nos casos em que após 60 dias da data de notificação, ainda estiverem sem encerramento da investigação), 8.731 (63%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 183 (1%) casos suspeitos estão em investigação pelos municípios.

Do total de casos confirmados (4.376) até o momento, 4.007 (92%) são autóctones, com transmissão dentro de Santa Catarina, 288 (7%) são importados (transmissão fora do Estado) e 81(2%) estão aguardando definição do Local Provável de Infecção

Até o momento, conforme informações sobre o Local Provável de Infecção (LPI) existe confirmação de transmissão autóctone de dengue em 27 municípios de Santa Catarina: Balneário Camboriú, Bom Jesus, Brusque, Caibi, Chapecó, Coronel Freitas, Descanso, Florianópolis, Guaraciaba, Guatambu, Itajaí, Joinville, Itapema, Itapoá, Maravilha, Modelo, Nova Itaberaba, Palmitos, Pinhalzinho, Quilombo, São José do Cedro, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Saudades, Serra Alta, União do Oeste e Xanxerê.

O município de Pinhalzinho apresenta o maior número de casos autóctones (2.453) no Estado, com uma taxa de incidência de 13.120,5 casos por 100 mil/hab. Além de Pinhalzinho, Serra Alta possui uma taxa de incidência de 4.589,4 casos por 100 mil/hab; Bom Jesus, 2.977,7 por 100 mil/hab; Coronel Freitas, 1.548,9 por 100 mil/hab; Descanso, 1022,9 por 100 mil/hab; Modelo, 503,7 por 100 mil/hab; Chapecó, 381,4por 100 mil/hab e União do Oeste, 333,3 casos por 100 mil/hab. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes.

 

Xanxerê

Somente nos 13 primeiros dias de 2017, em Xanxerê, foram 9 suspeitas de dengue, sendo que seis foram descartadas e três estão em análise. Mais de 40 focos do mosquito foram confirmados e todos os bairros são considerados infestados. Conforme Janete Rodrigues, coordenadora do programa de combate à dengue, as condições climáticas estão favorecendo a eclosão dos ovos.

“Nesta época do ano nós temos dias quentes e pancadas de chuva quase todos os dias, condição perfeita para a proliferação do mosquito. Com isso, ele está se reproduzindo mais rápido, hoje com sete dias, já eclode um novo mosquito. A situação é crítica e precisamos de mais atenção dos moradores”.

Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário