Corpo de Bombeiros: movimento reivindica convocação de aprovados em concurso

11 de abril de 2018 08:03 | Bombeiros , Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Corpo de Bombeiros: movimento reivindica convocação de aprovados em concurso (Foto: CBMSC)

 

Luis Henrique Bendlin é candidato excedente aprovado no concurso público de 2017 do Corpo de Bombeiros Militar. Ele faz parte de uma comissão de um movimento que reivindica uma solução para a falta de efetivo militar nos quarteis do estado de Santa Catarina. Luis comentou que há cerca de 300 candidatos aprovados nos exames de avaliação de escolaridade, saúde, física e psicológica, buscando com governo do Estado a convocação para o curso de formação.

“Ressaltamos o déficit de efetivo na corporação, principalmente nas regiões Oeste e Meio-Oeste. Hoje, Santa Catarina conta com 2.345 mil bombeiros militares em todo o estado, atuando para uma população com mais de sete milhões de habitantes, onde compromete muitos atendimentos e até o fechamento de alguns quarteis”, comentou.

Segundo Luis, conforme o art. 1º da Lei Complementar Nº 582, de 30 de novembro de 2012, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina possui como efetivo máximo a quantidade de 3.816 Bombeiros Militares. “Sendo assim, existem em torno de mil e quinhentas vagas a serem preenchidas”.

Na prática o movimento busca o apoio de todos os municípios catarinenses e da sociedade civil para a causa. Ele comenta que já foram entregues em algumas prefeituras e câmaras municipais, pedidos de apoio. “Já entregamos ofícios com solicitação de apoio na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), onde alguns deputados viram com bons olhos o nosso movimento. Na última semana o representante da Secretaria de Segurança Pública também nos apoiando na causa”.

A intenção do movimento, conforme Luis é de que a comissão consiga um diálogo com o Governador Eduardo Pinho Moreira. “Esperamos conversar com o governador e apresentar os dados, para que ele autorize o chamamento dos 300 candidatos excedentes do cadastro reserva, para a formação de uma segunda turma”.

Até o momento o movimento não recebeu nenhuma resposta. “Diante disso estamos lutando para a convocação até novembro de 2018, quando vencem os exames (médico, físico e investigação social), para iniciarmos o curso de formação logo no início do ano de 2019, visto que a o efetivo vem baixando ano após  ano e poderemos contribuir com excelentes trabalhos a população catarinense”, finalizou.

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais