(49) 9 9827.3230

Denúncia sobre atendimento de crianças nas creches de Xanxerê gera debate

3 de outubro de 2017 - 09:49 / Comunidade Educação Lance Notícias Xanxerê | Comentários
Denúncia sobre atendimento de crianças nas creches de Xanxerê gera debate (Foto: Ilustração/Internet)

Na última sessão da Câmara de Vereadores, do mês de setembro, o vereador Luiz Augusto Ceni, fez uso da tribuna e salientou que recebeu reclamações de alguns pais, referente ao atendimento prestados nos Cemeis de Xanxerê.

Na oportunidade o vereador disse que muitos professores não estariam cumprindo com as atividades pedagógicas, e que também, os professores estariam tratando mal alguns pais.

“Eu andei recebendo reclamações de inúmeros pais, que os professores não estariam cumprindo com as atividades pedagógicas estipuladas no plano de ensino, como higiene bucal, atividades recreativas. Recebi reclamações que as crianças estariam apenas comendo, dormindo e assistindo, então quero repassar essas reclamações de muitos pais, e também, diante de outro ponto, recebi reclamações que os professores não estão cumprindo com as regras estipuladas pela lei federal que trata sobre as horas atividades, então seria importante nos estarmos cientes da situação. Outro fato que chegou é que os professores também estariam tratando mal os pais”, disse.

Na sessão desta segunda-feira (02), fez uso da tribuna da Câmara de Vereadores, o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Xanxerê (SITESPM), Dionis Toigo, e o mesmo esclareceu o assunto a respeito do trabalho de educação infantil realizado nos Cemeis.

Foto: Reprodução Câmara de Vereadores

“As professoras da educação infantil da rede municipal de educação de Xanxerê, gostariam de explanar sobre alguns temas abordados pelo vereador, Luiz Augusto Ceni, que afirmou sem conhecimento de causa, algumas situações especificas da categoria. Primeiro, sobre o planejamento na educação infantil. Ele é seguido com o que é pré-estabelecido pela Secretaria de Educação, sendo que cada professor tem autonomia para construir os seus planos de aula, seguindo a metodologia, que é formulado nas horas atividades. Outra questão, é as horas atividades e nós destacamos que todos os professores têm direito a 1/3 de horas atividades, para planejamento das atividades. Sobre a higiene bucal, destacamos que o projeto foi cancelado ainda no ano de 2016, pela Vigilância Sanitária, por diversos fatores. Sobre comer, dormir e brincar. Toda a criança deve ter uma rotina, no Cemei não é diferente. Todas as atividades são coordenadas e dirigidas pelos professores e um estagiário. O professor, também é um trabalhador e tem direitos e deveres e em caso de não cumprimento de seus deveres, este trabalhador pode sofrer um processo trabalhista. Sendo assim, em situações problemas, não se pode generalizar toda uma classe, em decorrência do erro de alguns, e não podemos condenar antes de ouvir a parte condenada. O sistema jurídico, determina que aquele que acusa deve apresentar provas de suas acusações, destacando que as pressões que os professores sofrem no dia a dia, são inimagináveis e os professores convidam os vereadores para que conheçam os Cemeis e tirarem as suas próprias conclusões sobre o assunto. Para finalizar, o que nos trouxe até aqui, são os seguintes pontos: o sindicato e os profissionais, não concordam com generalizações; não se pode condenar os profissionais sem antes ouvi-los; os pais devem procurar o professor do seu filho e também o diretor do seu filho, resolvendo o problema no local; precisamos discutir a questão de indisciplina nas escolas; a educação é um grande legado que os pais podem deixar para os seus filhos; a escola tem desenvolvido um papel exemplar em Xanxerê e os profissionais merecem mais respeito e consideração por parte da sociedade”, disse o presidente.

Foto: Reprodução Câmara de Vereadores

Após, o esclarecimento, o vereador comentou sobre o caso. “A questão do Cemei, que gerou certo desconforto, quero esclarecer que não queria de forma alguma fazer afirmações, todas eu relatei conforme explanado. Eu havia recebido inúmeras reclamações, e tenho ciência que não são todos os professores. Tenho muito respeito pela categoria, sei da desvalorização que os senhores passam e sei também da dificuldade do setor público. E nenhum momento queria criar polêmica com esses profissionais. Quem sabe, faltou um pouco de experiência no diálogo. Eu recebi inúmeras reclamações e como vereador, não posso fechar os olhos para isso, em contrapartida recebo muitos elogios em relação a educação pública. Diante disso, estamos em busca de melhorias para os senhores professores”, concluiu o vereador.

A secretária da educação Claudia Favero comenta que existem denúncias, mas que todos os casos são cuidados.

“Nós temos algumas denúncias, e o que a gente faz é trabalhar essas situações caso a caso. Nós chamamos essa pessoa para conversar, tentamos ouvir as duas partes, tanto a parte dos pais quanto a dos professores e gestores. Dependendo da situação a gente faz uma notificação, uma advertência, faz uma conversa informal ou até mesmo se abre um processo administrativo”, destaca a secretária.

Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário