IFSC Câmpus Xanxerê lança campanha contra os maus-tratos aos animais

31 de maio de 2018 17:02 | Comunidade , Educação , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
IFSC Câmpus Xanxerê lança campanha contra os maus-tratos aos animais (Foto: Divulgação)

O Câmpus Xanxerê do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) irá realizar ao longo deste ano uma série de atividades para o público interno e externo em prol da campanha “Maltratar animais é crime”. A campanha inicia na próxima semana para marcar o Dia do Meio Ambiente, e com isso despertar nos alunos, servidores e comunidade externa uma reflexão sobre a importância das diferentes espécies de animais. O lançamento oficial será na quinta-feira (7), às 8h, no auditório da Apae.

As primeiras ações iniciam com o público do câmpus, com o auxílio do Grupo de Estudos de Animais Silvestres, da Unoesc. As atividades serão compostas por palestras com duração de 1h30min para tratar do assunto “Relevância dos animais silvestres no ambiente, riscos que os animais silvestres/peçonhentos representam na nossa região, e o que fazer em caso de acidentes.”

“A ideia da campanha surgiu quando presenciamos um lagarto apedrejado e recebendo um golpe violento na cabeça. É muito improvável um lagarto Teiú, espécie que sofreu a agressão e prevalente na nossa região, atacar primeiro, já que esse animal foge do ser humano. Ou seja, foi, provavelmente, uma agressão desnecessária e gratuita contra um ser que, além de não representar risco efetivo para a população humana, contribui para o equilíbrio ambiental”, afirma a servidora do câmpus que encabeça a campanha, Corina Maschio.

O caso relatado pela servidora aconteceu na metade de dezembro do ano passado, no bairro Veneza, em Xanxerê. O lagarto precisou passar por cirurgia e ficar internado até o final de janeiro deste ano. O tratamento foi realizado pelo hospital veterinário da Unoesc, que atendeu o animal gratuitamente através do setor de animais silvestres do hospital e sua equipe do Grupo de Estudos de Animais Silvestres, coordenado pela veterinária Isadora Massa. Mesmo com tanta dedicação, o lagarto foi devolvido com sequelas permanentes ao seu habitat natural.

Pensando em tudo isso, Corina organizou uma campanha contra os maus-tratos aos animais, desde os silvestres até os domésticos. “Não há motivo para agredir morcegos, gambás, aranhas, sapos, lagartixas, cobras, ou qualquer tipo de animal. Nenhum deles atacará sem sentir-se encurralado. Todos têm o mesmo instinto de fuga quando sentem-se ameaçados pelo homem”, ressalta a servidora do IFSC.

Além disso, lembra Corina, nenhum desses animais causa ‘cobreiro’ se tiver contato com a sua pele. “O sapo, por exemplo, não esguicha veneno, esguicha urina, que não é danosa ao homem. E a maioria das cobras, mesmo as peçonhentas, não atacam sem um bom motivo. Contudo animais silvestres não são animais domésticos e devemos evitar o contato com os mesmos, tanto pela segurança deles como pela nossa segurança. Se todos respeitarem o espaço de todos podemos viver de maneira harmônica e colaborativa inter espécies e, assim, viver em um mundo melhor”, ressalta a servidora do IFSC.

 

Cronograma de palestras:

Quinta-feira (07) – Lançamento da campanha e palestra (1h30min)

Início: 8h00

Local: Auditório da Apae (Endereço: Rua Francisco Britz de Miranda, 305, Bairro Veneza)

Participantes: alunos do turno da manhã do IFSC

Palestra: “Relevância dos animais silvestres no ambiente, riscos que os animais silvestres/peçonhentos representam na nossa região, e o que fazer em caso de acidentes.”

 

Quinta-feira (07) – Palestra (1h30min)

Início: 14h

Local: Auditório da Apae (Endereço: Rua Francisco Britz de Miranda, 305, Bairro Veneza)

Participantes: alunos do turno da tarde do IFSC

Palestra: “Relevância dos animais silvestres no ambiente, riscos que os animais silvestres/peçonhentos representam na nossa região, e o que fazer em caso de acidentes.”

 

Segunda-feira (11) – Palestra (1h30min)

Início: 8h às 9h30

Local: Câmpus Xanxerê

Participantes: alunos matriculados na disciplina Biologia III, da professora Luciane Belmonte Pereira.

 

Sexta-feira (15) – Palestra (1h30min)

Início: 8h às 9h30

Local: Câmpus Xanxerê

Participantes: alunos matriculados na disciplina Biologia III, da professora Luciane Belmonte Pereira.

 

Saiba mais:

Desde 1998, está em vigor no Brasil a lei nº 9.605, que deixa claro que é crime “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos (artigo 32). A pena é de detenção, de três meses a um ano, e multa. Esta pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Porém, esta não foi a primeira legislação a criminalizar essas práticas. Desde 1934, existe no país o Decreto 24.645, que criminaliza os maus-tratos e pontua o que é considerado maus-tratos. Entre eles estão:

  1. Praticar ato de abuso ou crueldade em qualquer animal;
  2. Manter animais em lugar anti-higiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar ou luz;

III. Obrigar animais a trabalhos excessivos ou superiores às suas forças e a todo o ato que resulte em sofrimento para deles obter esforços que, razoavelmente, não se lhes possam exigir senão com castigo; entre outros.

 

Assessoria de Imprensa


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais