Junho Vermelho: doação de sangue diminui durante o inverno

13 de junho de 2018 15:58 | Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Junho Vermelho: doação de sangue diminui durante o inverno

O mês de junho em Santa Catarina foi instituído como o junho vermelho, em alusão do dia 14, marcado como o Dia Mundial do Doador de sangue. Durante todo o mês são incentivadas ainda mais campanhas de doação de sangue para que empresas, entidades, municípios e comunidade em geral se mobilizem e compareçam ao Hemosc para fazer sua doação.

O Hemosc de Chapecó atende 86 municípios da região, contemplando 42 hospitais, inclusive o de Xanxerê. Regularmente uma equipe se desloca até Xanxerê para realizar captações de bolsas de sangue para que os doadores que não conseguem se deslocar até a cidade vizinha possam doar.

Conforme a coordenadora de captação de doadores do Hemosc de Chapecó, Eliana Ribicki, por enquanto as doações da região atendem a demanda. São recebidas por mês cerca de 1.200 bolas de sangue. Ademais, com a chegada do inverno e dias mais frios e chuvosos o número de doadores diminui.

“Nessa época do ano tem uma tendência de diminuir as doações por conta do clima, que muitas pessoas acabam contraindo algum tipo de doença respiratória e o próprio frio e tempo chuvoso impedem as pessoas de fazer a sua doação. Isso acaba diminuindo o volume de doações nesse período e faz com que tenhamos que fazer sempre alguma campanha de incremento e faz a gente fazer alguma campanha de coleta”, explica Eliana.

Doar é um ato de amor
A estudante Carolina Basi Stocco, de 20 anos, tinha vontade de se tornar doadora de sangue antes mesmo de completar a idade permitida. Ela cursa enfermagem e comenta que não sabe exatamente porque sempre teve essa vontade de doar sangue, mas destaca que sempre busca ajudar as pessoas e isso a motivou a fazer sua parte. Ela começou a doar em 2016 e sempre busca doar três vezes ao ano.

“Eu sempre fui movida a tentar ajudar as pessoas e a escolha da minha futura profissão foi justamente por isso, para tentar ajudar as pessoas, amenizar as dores, tentar entender o porquê de determinadas ações que o ser humano desenvolve e foi por isso. Eu acho que cada um deve fazer a sua parte para tentar ajudar o outro. O que eu percebi que podia fazer para ajudar era doar sangue e hoje sou doadora de medula também. Eu doo sangue porque sei que vou estar ajudando algumas pessoas e isso não tem preço algum. E eu não sei o que me aguarda, posso precisar também algum dia, ou algum familiar. A gratidão de poder ajudar acho que é maior do que daquele que recebe. Eu simplesmente sou doadora porque ainda tenho amor pelas pessoas. Tenho amor pelo outro, independente da sua situação, sua raça ou sua cor”, comenta.

O LEO Clube de Xanxerê realiza anualmente campanhas de doação de sangue entre seus membros. Para Eduardo Niszczah, membro do LEO, doar é uma experiência simples e incrível.

“É uma experiência incrível! É muito bom saber que você pratica uma ação tão pequena e ajuda muitas pessoas. Nós do LEO Clube cumprimos a meta de doar 4 vezes até a troca de cargos e eu quero sempre doar, pois é muito simples, fácil e você se sente bem consigo mesmo”, destaca Eduardo.

Se comprometendo a doar sangue sempre que estiver apto, o doador recebe uma carteirinha, no qual traz os seguintes benefícios:
– Prioridade no atendimento à saúde, como em consultas médicas e odontológicas no âmbito estadual, junto ao SUS;
– Prioridade em marcação de exames, junto ao SUS;
– Aquisição de meia-entrada em todos os locais públicos;

Quem deseja ser doador, deve entrar em contado com a Agência Transfusional do Hospital Regional São Paulo em Xanxerê, pelo telefone 3441-7760, falar com Kathryne ou Mateus, ou no Hemosc em Chapecó, pelo telefone 3700-6400.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais