(49) 9 9989.9002

Mãe de criança com autismo fala dos desafios e lutas diárias

2 de abril de 2018 - 15:26 / Comunidade Lance Notícias Variedades Xanxerê | Comentários
Mãe de criança com autismo fala dos desafios e lutas diárias Wesley de 7 anos. (Fotos: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

 

“Eu sempre digo que se Deus colocou eles para mim eu preciso que cuidar”. É assim que Cleusa Aparecida Ribeiro que reside em Xanxerê resume como é conviver com seus dois filhos que possuem Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Os dois irmãos fazem parte dos 70 milhões de pessoas que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), vivem com essa condição no mundo e o dia 2 de abril, esta segunda-feira, foi a data escolhida para ações de conscientização sobre o autismo.

Cleusa salienta que descobriu que seus filhos possuíam o transtorno ao perceber a demora para começar a falar. “Tenho dois filhos, um de 18 anos, que é o William Ribeiro dos Santos e o de 7 anos, que é o Wesley Ribeiro dos Santos. Como eles demoravam para apresentar evoluções eu fui no médico e descobri que os dois eram autistas”.

 

Wesley na aula de natação. (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

 

Atualmente a família reside no Bairro Vila União em Xanxerê e a mãe comenta que a maior dificuldade que enfrenta é o preconceito. “É muito difícil lidar com isso, conheço mães que não gostam de falar sobre esse assunto, mas é necessário. Além disso, enfrentamos muita dificuldade nos dias que eles estão bravos”.

Willian, o filho mais velho, frequenta a Apae de Xanxerê e no contra turno se distrai com músicas. Já Wesley frequenta a escola e no período da tarde participa de atividades da Apae e da FCDX.

“A minha maior dificuldade deles, nós percebemos que é de falar. As palavras que eles falam são mamãe e ‘abo’, que é avó. Mesmo que eles falem pouco, quando eles falam qualquer coisa eu já fico muito feliz”, diz a mãe.

Nas principais lembranças, a mãe guarda o momento em que os filhos começaram a caminhar. “A minha maior alegria foi quando o mais velho começou a caminhar, foi a alegria de toda a família, isso aconteceu quando ele tinha 9 anos e agora se repete pois Wesley está dando seus primeiros passos”.

Hoje a mãe cuida dos filhos e o pai trabalha para manter as despesas da casa. “Eu trabalhava fora de casa e sai para cuidar deles, porque é difícil eles se adaptarem com outras pessoas e hoje vivemos do auxílio deles e do trabalho do meu esposo. Eles são agressivos com eles mesmos, tanto que o mais velho usa tala nos braços para não se agredir. Os dois recebem acompanhamento psicológico, mas eu deixei o trabalho para cuidar e passar mais tempo junto deles”, conclui.

 

Wesley participa de atividades da FCDX. (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

 

Cleusa Aparecida Ribeiro. (Foto: Alessandra Bagattini/Lance Notícias)

 

 

Com informações G1

 

Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário