Mutirão contra o aedes aegypti é programado para este mês em Xanxerê

10 de agosto de 2018 18:18 | Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Mutirão contra o aedes aegypti é programado para este mês em Xanxerê Foto: reprodução

Mesmo com as temperaturas amenas, os cuidados contra o aedes aegypti precisam permanecer. No período de 31 de dezembro de 2017 a 04 de agosto de 2018, foram identificados 12.207 focos do mosquito Aedes aegypti em 153 municípios. Comparado ao mesmo período de 2017, quando foram identificados 8.218 focos em 138 municípios, houve um aumento de 48,5%, conforme dados da Dive.

73 municípios são considerados infestados pelo mosquito, entre eles, Xanxerê. Para isso, a secretaria de Saúde promove no dia 25 de agosto um mutirão.

As ações serão concentradas no Bairro São Romero, além de discutir o assunto com alunos da rede estadual, municipal e particular. Conforme dados da Vigilância Epidemiológica, são cerca de 18 mil imóveis em Xanxerê distribuídos em 31 bairros, os quais precisam ser vistoriados para evitar a proliferação do mosquito.

 

O que é dengue?

Dengue é uma doença infecciosa febril causada por um arbovírus, sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Ela é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado.

A infecção pelo vírus da dengue pode ser assintomática ou sintomática. Quando sintomática, causa uma doença sistêmica e dinâmica de amplo espectro clínico, variando desde formas mais leves (oligossintomáticas) até quadros graves, podendo evoluir para o óbito. Todos os quatro sorotipos do vírus da dengue circulantes no mundo (DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4) causam os mesmos sintomas, não sendo possível distingui-los somente pelo quadro clínico. O termo “dengue hemorrágica” deixou de ser empregado em 2014, quando o Brasil passou a utilizar a nova classificação da doença, que leva em consideração que a dengue é uma doença única, dinâmica e sistêmica. Para efeitos clínicos e epidemiológicos, considera-se a seguinte classificação: dengue, dengue com sinais de alarme e dengue grave.

 

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;

Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha ralos fechados e desentupidos;

Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;

Retire a água acumulada em lajes;

Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;

Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;

Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;

Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais