(49) 9 9827.3230

Narguilé é mais prejudicial à saúde que o cigarro, explica cardiologista

8 de setembro de 2017 - 15:44 / Comunidade Saúde Xanxerê | Comentários
Narguilé é mais prejudicial à saúde que o cigarro, explica cardiologista (Foto: Felipe Souza/BBC Brasil)

Um cheiro semelhante ao de um chiclete sabor melancia preenche o ambiente decorado com luzes coloridas de neon. Grupos de amigos se divertem espremidos em bancos enquanto fazem argolas no ar ao soltar a densa fumaça aspirada dos narguilés, que passam de boca em boca.

Cenas como a descrita acima são comuns entre os jovens de todo o Brasil, que utilizam narguilé. Entretanto, médicos dizem que ele é cerca de trinta vezes mais potente que um cigarro comum, e antecede o acesso ao tabagismo.

André Martins, cardiologista, comenta que o cigarro e o narguilé, são duas formas diferente do tabaco.

“O que nós temos de dados, é que são duas formas diferentes de tabaco, não são a mesma coisa, mas ambos são prejudicais. O narguilé chega a ser de 10 a 30 vezes pior que o cigarro”.

Entenda a diferença 

De acordo com o cardiologista, o narguilé é ingerido sem filtro, o que faz com o que mesmo seja mais agressivo. “O narguilé você ingere a fumaça sem filtro nenhum e o cigarro tem o filtro. Então a quantidade de monóxido de carbono que é o que eliminado pelo cigarro, e faz mal para o corpo, é ingerido muito mais pelo narguilé”.

Dados explicam que 80 minutos de uma sessão de narguilé, envolvendo pessoas, corresponde a 100 cigarros.

O cardiologista comenta que a pratica do uso de narguilé, está cada vez mais comum entre jovens. “Cada vez a população, principalmente os jovens, estão consumindo narguilé. A campanha de setembro é para o cigarro, então vale o alerta, porque quase 300 mil brasileiros utilizam o narguilé e ele tem mais de 4 mil substâncias tóxicas, ou seja, tem mais que o cigarro”.

Narguilé

De origem oriental, o narguilé é, de maneira simplificada, um cachimbo de água. O ar aquecido por carvão passa pelo fumo e resfria no líquido antes de ser aspirado – e eliminado em seguida – pelo usuário. O fumo, também conhecido como essência, é composto de tabaco, frutas ou aromatizantes.

A montagem do narguilé começa com o acendimento do carvão, que demora cerca de dez minutos. O tabaco com essência é colocado no bocal, fechado com alumínio e depois furado para possibilitar a passagem do ar. O carvão então é aceso e colocado em cima dessa estrutura.

A base, geralmente feita de vidro, é preenchida com água. As mangueiras e bocais são conectados, e o equipamento está pronto para uso.

Quando o fumante puxa o ar, a fumaça é resfriada na água antes de passar pelas mangueiras e chegar à sua boca e pulmões.

Com informações G1

Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário