(49) 9 9989.9002
(49) 3433.3173

O que os xanxerenses esperam do próximo presidente da república?

20 de abril de 2018 - 10:10 / Comunidade Eleições 2018 Política Xanxerê | Comentários
O que os xanxerenses esperam do próximo presidente da república? Foto: divulgação

 

As eleições deste ano estão se aproximando e alguns nomes já foram citados como pré-candidatos. Diante de toda a crise econômica e política, o que o povo brasileiro mais quer é a mudança e o fim da corrupção e a sua arma para isso é o voto.

Celito Pandolfi, economista que atua há mais de 25 anos na área da política fez uma explanação sobre o cenário atual e arrisca um palpite para o futuro. Para Celito, o principal empecilho do brasileiro é a falta de investimento em educação.

“Se percebe que o povo brasileiro, em função do descaso do governo brasileiro e da praga que é a corrupção, tem baixa escolaridade. Existem países que são pobres, mas possuem muita cultura, isso porque a base inicial é um povo com escolaridade e no Brasil essa não é a prioridade. Quando se desvia o dinheiro da função se causa isso, não há câncer maior que a corrupção. E o pior é quando um governo coloca na mão do povo coisas que retroagem a evolução. Na verdade, a minha preocupação maior hoje é nós continuarmos com o mesmo erro. Nós já vemos políticos utilizando a fragilidade para ganhar uma eleição e quando vemos um país onde a educação nunca foi a prioridade, há uma limitação de conhecimento e isso faz com que pessoas pensem que ‘pior que está não fica’ e acabam votando em qualquer pessoa. Nós já temos a demonstração do passado de que não é assim”, comenta.

O economista detalha ainda que não prevê mudanças positivas antes de 2020.

“Estou preocupado com os destinos políticos do Brasil, ou nós colocamos pessoas voltadas à educação ou não terá mudança. Para as eleições deste ano, muita coisa ruim ainda vai acontecer, pois a Lava Jato que é uma diferença nos tempos atuais ainda vai atingir muitas pessoas envolvidas na política, eu não vejo mudança antes de 2020”.

Diante de toda essa situação, o especialista afirma que é necessário o povo pensar antes do voto e não se deixar manipular por promessas que não serão cumpridas.

“Não adianta o povo se omitir, nós precisamos mudar as pessoas. Neste ano, nós ainda temos que pensar que ou o povo analisa ou vai continuar como está. Tem candidatos já prometendo coisas que não vai poder dar depois, está utilizando da fragilidade das pessoas”, finaliza.

 

Por: Direto da Redação

Deixe seu comentário