“Ser irmã é um chamado, um ministério”, conta Irmã Franciscana de Xanxerê

5 de junho de 2018 11:49 | Lance Notícias , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
“Ser irmã é um chamado, um ministério”, conta Irmã Franciscana de Xanxerê Irmã Maria Glorisse. (Foto: Alessandra Bagattini/lance Notícias)

Ajudar o próximo. É assim que as Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria Auxiliadora, que residem em Xanxerê, resumem as suas trajetórias. Ao todo são 11 irmãs, que trabalham com o objetivo de auxiliar as pessoas.

A Irmã Maria Glorisse, reside com mais duas irmãs em uma casa situada no centro de Xanxerê. Ela explica que as missionárias trabalham com atividades voltadas ao hospital e também escolas do município.

“A nossa congregação está aberta a todos os trabalhos que vier. Então podemos estar nas pastorais, nas escolas, nós abrangemos todo o trabalho social. Nós estamos em Xanxerê há muitos anos, é desde a fundação do Hospital Regional São Paulo. Teve irmãs que já trabalharam no Colégio Costa e Silva, mas nós atuamos em Chapecó onde temos três casas; em Xanxerê, no hospital, na Casa Madre Bernarda e na Casa Betânia; em Abelardo Luz e Ipuaçu, nas pastorais, na saúde e área indígena”, explica.

Irmã Glorisse, como é conhecida popularmente, escolheu o caminho religioso há mais de 60 anos, ela explica que atuar como irmã missionária é um chamado de Deus.

“Ser irmã é um chamado, um ministério, nós se sentimos atraídas para esse viver. A gente cultiva isso. Somos nós que decidimos se é para vida religiosa, casamento ou solteira, que vamos seguir. Cada uma é livre”.

A Irmã é natural de Getúlio Vargas, Rio Grande do Sul e veio para Xanxerê após a fundação do Hospital Regional São Paulo.

“Eu aceitei meu chamado com 19 anos. Eu sempre quis entrar na cruz vermelha, mas meu pai não deixava. Mas depois que escolhi essa vida, ele sempre me apoiou. Nós éramos em 11 irmãos, eu sou a quinta e a única religiosa. Depois que entrei na vida religiosa, eu fui para Chapecó e vim de lá eu vim para cá, quando fundou o hospital, onde trabalhei 32 anos na enfermagem”.

Com 84 anos Irmã Glorisse comenta que a sua força vem ao ajudar o próximo. “Nossa vida é ajudar o próximo, estamos aqui para servir, é na saúde, nas famílias, nas áreas que precisam nós estamos presentes. A congregação é dividida em províncias, ou seja em vários lugares, para se ter mais contatos, mas nós vamos para países e estados de todo o Brasil. Então as pessoas que precisam da gente é só nós procurar, que atenderemos”, conclui.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais