Supermercados começam a sentir impactos da instabilidade econômica

7 de agosto de 2018 15:35 | Comércio , Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Supermercados começam a sentir impactos da instabilidade econômica (Foto: Divulgação)

Há um certo tempo, os custos de produção em diversos setores das indústrias se mantém altos, enquanto o valor que é pago para o produtor não acompanha todos os reajustes.

Além disso, as altas taxas de desemprego na sociedade também preocupam. Conforme Edson Marció, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Xanxerê e secretário do Sindicato do Comércio Varejista dos Gêneros Alimentícios do Alto Irani (Sigavai), os supermercados já começam a sentir os impactos da instabilidade na economia dentro das famílias.

Segundo Edson, o custo de produção aumentam, mas o preço pago ao produtor não sofre reajustes. Diante disso, muitos produtores optam por procurar outra atividade, o que vai diminuir a oferta de produtos e aumentar os preços.

“Economicamente, não vejo como não acontecer um reajuste nos valores da cesta básica, porque não vi nenhum custo de produção baixar, não tem como continuar produzindo, mantendo um preço competitivo, se pra ti o preço aumentou. É um colapso de falência. É melhor fechar do que continuar produzindo com prejuízo, ai depois vai fazer falta”, comenta.

Já os impactos sentidos, muda de empresa para empresa. Lojas maiores, que conseguem investir mais, tem um retorno melhor. Empresas que investem menos, principalmente em publicidade, tendem a ter uma queda nas vendas.

“Nosso cliente está ficando preocupado, desempregado, há uma incerteza econômica e o consumidor gasta menos. A agroindústria, na nossa região, movimenta muito o setor de empregos e também a agricultura, mas esse setor também enfrenta problemas econômicos e tudo isso reflete em toda a cadeia produtiva”, conclui.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais