Xanxerense irá participar de feira nacional de artesanato

7 de junho de 2018 09:31 | Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Xanxerense irá participar de feira nacional de artesanato (Fotos: Arquivo Pessoal)

Apaixonado por cutelaria desde a sua adolescência, há cerca de quatro anos o xanxerense Richard D’Avila se dedica exclusivamente a produção de facas artesanais. E, neste ano, Richard irá representar o município de Xanxerê e o Estado de Santa Catarina na 19ª edição da Fenearte que acontece de 04 a 15 de julho na cidade de Olinda, em Pernambuco. A cutelaria de Richard se chama Aço de Guerra.

A Fenearte é considerada a maior feira de artesanato da América Latina e reúne milhares de artesãos de todas as partes do país que expõem seus produtos durante os 12 dias de feira com um fluxo de cerca de 650 pessoas. A feira tem como objetivo valorizar e difundir os saberes tradicionais, estimular o potencial de crescimento dos artesãos e artesãs.

Segundo Richard, é uma satisfação muito grande poder representar o estado nessa feira nacional. “Para mim é uma satisfação muito grande ter sido escolhido pelo Estado, pois tem um critério de pontuação e meu trabalho foi escolhido. O diferencial do meu trabalho para outras cutelarias é que eles produzem as facas com ferramentas industriais, o que chamamos de alta cutelaria, e eu trabalho de maneira rústica com forja a carvão, faço desbaste de lâminas com limas, ferramentas manuais e o processo de forjamento é feito na marreta, diferente de outras cutelarias que facilitam o trabalho, dão um acabamento impecável, mas são feitas de forma industrial”, explica.

Realizando um trabalho manual Richard consegue sempre produzir peças únicas. Geralmente ele trabalha com encomendas, mas sempre que tem um tempo livre produz peças para comercialização em feiras de artesanato de Xanxerê e região. Além disso, ele aprendeu a atividade sozinho e segue buscando conhecimento e aprimorando duas técnicas

“Cerca de 85% do processo de produção dessas lâminas são feitas a mão, sigo aquela velha escola de ferreiros, de produção de lâminas. Desenvolvo um trabalho único, pois nenhuma lâmina sai igual a outra porque não é produção em série. Aprendi fazer isso sozinho, mas estou sempre buscando conhecimento em diversas áreas de metalurgia, de forja, de têmpera, tem que entender bastante de metal, de aço para produzir isso. Mas foi uma atividade que tomei gosto, que sempre gostei e fui aprimorando a técnica sozinho”, comenta.

Richard já enviou suas peças para vários estados do país como Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, além de outras cidades dentro de Santa Catarina. Além das feiras, o cuteleiro também divulga seus trabalhos no Facebook e recebe encomendas por lá.

(Foto: Brindar Filmes)


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais