(49) 9 9827.3230

Xanxerenses buscam voltar à rotina normal um ano após a passagem do tornado

20 de abril de 2016 - 07:02 / Comunidade Tornado | Comentários
Xanxerenses buscam voltar à rotina normal um ano após a passagem do tornado Área do ginásio Ivo Sguissardi atualmente (Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

 

Por volta das 15h30min desta quarta-feira (20) completa um ano, desde a passagem do tonado por Xanxerê. A Defesa Civil de Santa Catarina contabiliza mais de R$ 100 milhões de danos para Xanxerê e R$ 9 milhões em Ponte Serrada, cidade que também foi atingida por tornado no mesmo dia.

Foram cerca de 4.275 pessoas desalojadas e 539, desabrigadas após os fortes ventos. Houve duas mortes no dia e, 97 feridos, segundo a Defesa Civil estadual. Foram 2.178 casas atingidas, sendo 1.583 com danos apenas nos telhados, 360 parcialmente danificadas e 235 totalmente destruídas. Em relação às empresas, 38 tiveram prejuízos.

Cerca de 200 mil unidades consumidoras ficaram sem luz na região devido à queda de cinco torres de transmissão de energia. Os ventos que formaram o tornado podem ter variado de 100km/h até 330km/h por volta das 15h, horário do fenômeno, conforme o Inmet. A escala de classificação de tornados começa em 65 km/h e chega a mais de 500 km/h. O F0 é o mais fraco e o F5 é considerado o mais forte, o de Xanxerê foi considerado F2.

Residêncial Fênix após a passagem do tornado (Foto: Divulgação)

Residêncial Fênix após a passagem do tornado (Foto: Divulgação)

 

 

Iluminação pública na área atingida

No último dia 7 de março, o prefeito Ademir Gasparini anunciou a liberação de R$ 500,00 mil para a recuperação da iluminação pública da área atingida pelo tornado e o restante da cidade também. Inicialmente, os pontos considerados os mais críticos foram os primeiros a receber reparos.

Desde a passagem do tornado pelo município, que no próximo dia 20 completa um ano, moradores de diversos bairros viviam às escuras e a prefeitura alegava falta de recurso. No fim do ano passado, já foi realizado a licitação para contratação da empresa, o que permitiu o início imediato das obras, após a liberação deste recurso do Governo do Estado no mês de março.

Segundo levantamento do setor de obras da prefeitura, eram necessários cerca de 600 braços, de dois tipos, e 600 lâmpadas somente na área atingida pelo tornado. “Cerca de 70% da área atingida pelo tornado já foi restabelecida. Como eram dois tipos de braços, um mais curto e um mais longo, os mais curtos já foram colocados e agora a equipe está retornando ao local para instalar os braços mais longos. Nossa previsão é que até o dia 15 toda a área atingida pelo desastre seja recuperada”, diz o prefeito Ademir Gasparini.

(Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

(Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

 

Casas modulares

Segundo levantamento da Defesa Civil, 72 famílias tiveram suas casas totalmente destruídas. Destas, 39 aceitaram a casa modular da Defesa Civil do Estado. No entanto, algumas famílias ainda aguardam suas casas serem entregues.

Segundo informações do Coordenador da Defesa Civil, Luciano Peri, restam três casas que passam pelos últimos acabamentos, mas deve ser entregue nos próximos dias às famílias.

Cada casa modular tem 39 metros quadrados e conta com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. O custo de cada unidade é de cerca de R$ 40 mil. O material utilizado possui aço galvanizado, com isolamento térmico e acústico. As casas são resistentes a queda de granizo, vendavais e chamas. O prazo para entrega das casas era de 90 dias.

(Foto: Defesa Civil)

(Foto: Defesa Civil)

 

 

Ginásio Ivo Sguissardi

A presidente Dilma Rousseff esteve no município prestando solidariedade e liberando recursos para o município, após a passagem do sinistro. Entre os recursos liberados estão R$ 3 milhões do Ministério da Integração para a construção do ginásio Ivo Sguissardi, totalmente destruído pelo fenômeno.

Desde então, apenas foram retirados os entulhos do ginásio que restaram no local, mas a nova obra ainda não iniciou. Nos últimos dias, o vereador Sidinei Mesnerovicz (PT) alegou que este recurso estava bloqueado por descumprimento do prazo estipulado.

O prefeito Ademir Gasparini nega que o processo tenha sido arquivado e afirma que toda a documentação já foi enviada para o Ministério da Integração e que se aguarda a liberação do recurso para que a obra inicie.

foto-11-1170x706

 

Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário