A NOSSA HOMENAGEM: ARDUINO AMIQUERLE ANTONIOLLI

8 de abril de 2016 07:48 | Rogério Côlvero
A NOSSA HOMENAGEM: ARDUINO AMIQUERLE ANTONIOLLI

“… delegado de polícia de Xanxerê foi brutalmente assassinado em 1968, aos 44 anos. Foi atender uma ocorrência quando um indivíduo que provocava desordem na comunidade de São Sebastião, um ex-detento da cadeia pública, sacou de um revólver calibre 22 e, “a queima roupa” alvejou o delegado que tombou sem vida…”

Nascido em 19 de janeiro de 1924 no município de Antonio Prado.RS, filho de Carlos Antoniolli e Adelinde Antoniolli,  migrou para Santa Catarina em 1935, fixando-se residência na localidade de Ponte Serrada (hoje município) à época pertencente a Joaçaba. Transferiu-se para Chapecó cinco anos após onde trabalhou dos 16 aos 20 anos numa loca de tecidos, confecções, gêneros alimentícios e materiais em geral, cujo estabelecimento contava com a participação da própria família Antoniolli, em sociedade com as famílias Bosetti, Bortolassi e Oscar Mate, este último restando como único proprietário.

Chegou em Xanxerê no dia 14 de março de 1945, aos 21 anos de idade. Dois anos depois, casou-se com Ignês Pompermayer, com a qual teve cinco filhos – Marli, Ane Claire, Jucelei, Carlos David e Giselda.

Foi nomeado intendente do Distrito de Bom Jesus pelo prefeito de Chapecó, Dr. José de Miranda Ramos e ainda designado na função de suplente de fiscalização da fazenda pública municipal.

Vivendo na Vila de Xanxerê numa época em que eram frequentes as brigas e os tiroteios envolvendo jagunços e pistoleiros que buscavam refúgio e abrigo nas frondosas matas, Arduíno que fora designado para o cargo de delegado de polícia, agia com muita bravura e rigor no combate aos fora da lei, fato que lhe imputavam uma ascendente notoriedade.

Homem comprometido com o progresso e o desenvolvimento desse lugar, participou com determinação e afinco nos mais diferentes eventos sociais e comunitários, integrando e participando ativamente no movimento emancipacionista, que em 1954 elevaria o distrito de Xanxerê à condição de município. Na oportunidade em que foi intendente, encaminhou um pleito ao prefeito de Chapecó e conseguiu a doação do terreno para a construção do estádio do Tabajara Futebol Clube, o qual existe até hoje.

Estimulado pelos seus ideais de compromisso com as causas populares e disposto a ocupar os espaços institucionais para prosseguir nesses propósitos de auxiliar a comunidade xanxerense, lançou-se na vida pública, ainda jovem, concorrendo ao cargo de vereador do município de Chapecó, representando o distrito de Xanxerê, tendo sido eleito e integrou a legislatura daquele município no período de 1959/1953.

Nas eleições de 1954, as primeiras disputadas após a emancipação de Xanxerê, candidatou-se novamente a vereador, sendo  eleito para  o mandato de quatro anos, fazendo parte da primeira Legislatura de 1954/1958. Durante o mandato foi eleito e exerceu o cargo de presidente da Câmara de Vereadores no biênio de 1957/1958.

Concluído o mandato, Antoniolli decidiu afastar-se da vida pública e passou a dedicar-se exclusivamente à sua função de servidor público, agindo sempre com destemor e rigor na ação contra os infratores e transgressores da lei e da ordem, zelando pela vida e a segurança da população.

Foi dessa forma que Arduino acatou chamado para atender uma ocorrência no interior do município em uma festa comunitária que estava sendo realizada na localidade de Linha São Sebastião (hoje comunidade localizada às margens da BR.282 sentido Xanxerê/Faxinal dos Guedes). Como agia habitualmente, convidou uma outra autoridade policial, o carcereiro de nome Aroldo para acompanhá-lo e se dirigiu para o local da festa. Lá chegando, tomou conhecimento do fato e ao aproximar-se do indivíduo que provocava desordem, o mesmo, um ex-detendo da cadeia pública de Xanxerê, sacou de um revólver calibre 22 e, “a queima roupa” alvejou o delegado que tombou sem vida.

Arduíno Antoniolli foi brutalmente assassinado em 1968, com 44 anos, deixando o exemplo de homem digno e honrado, fiel cumpridor do seu dever, sendo lembrado e reconhecido como uma das maiores e mais bem conceituada autoridades policiais que já passaram pelo município e pela região Oeste de Santa Catarina.

Remédios falsos

O deputado estadual Fernando Coruja Agostini (PMDB) que também é médico reconhecido pelo trabalho realizado na região de Lages por largo tempo, propôs na Assembleia Legislativa a CPI dos Medicamentos. Em Santa Catarina, com base nas informações que obteve, 20% dos medicamentos consumidos  são falsificados. Os deputados apoiaram a criação da CPI e, segundo o deputado “ a maior falsificação são de produtos vendidos nas academias e pela internet que chega a 70%”.

Candidatos da 3ª.Via – já se sabia

Já se sabia que os candidatos a prefeito dos partidos que compõem a conhecida “Terceira Via”, seriam Leandro Júnior Vigo (PR),  João Paulo Tatu Menegatti (PTB) e Alessandro Antoniolli (PT). Agora então,  é por os três nomes num copo e tirar um – os três são bons candidatos pelo trabalho já realizado.  Claro que haverá agora a decisão para a escolha do candidato a prefeito e a vice.

E agora Avelino ?

Avelino Menegola, antes de ser prefeito de Xanxerê, sempre trabalhou no conserto de caminhões. E agora, como Secretário da Agricultura, já iniciou “mandando” constar tratores, patrolas e caminhões, parados e nos cavaletes na garagem da Prefeitura, para depois então, dar condições de trânsito nas rodovias municipais.  Cara e coragem não faltam para o ex-prefeito de oito anos de mandato.

Para ler e pensar:

– O governo Dilma já ofereceu o Ministério da Educação para o PP de Paulo Maluf em troca dos votos contra o impeachment.

–  O PDT ( partido do Brizola ) já avisou: quem não assumir o voto a favor do governo Dilma que fique em casa. O partido diz garantir 17 dos 20 votos a favor de Dilma.

–  Placar do impeachment: a favor 245; contra 110; indecisos 58; não revelam o voto 11; não foram encontrados 89. Na lógica esperam o “quanto pagam”?

– Dizem que os dólares já estão aí, mandados pelos amigos da Venezuela, Bolívia e Cuba.

FALA POVO

– “O Brasil está se ralando… os gringos estão comprando o país a troco de banana” (A.G.)

– “ O time da Dilma ainda dá a última cartada: no impeachment, 2 milhões pelo voto e 400 mil pela ausência . ( Paulinho da Força)

– “ Pior do que está não fica – sai Dilma ou fica Dilma”. (Tiririca)

– “Hoje, majoritariamente o eleitor é anti-petista” (U.B.)

– “Viu só, Colombo continua em cima do muro – nem a favor nem contra o impeachment. Não tem dó da Dilminha, sua “querida amiga”. ( T.P.H.)

– “Com a saída geral do PMDB do governo, os bagres deixaram os cargos e os bagrinhos também… desempregados.”

-“Amin (PP), o político Bombril de mil e uma utilidades. Para conquistá-lo a votar a favor de Dilma, Paulo Maluf prometeu o Ministério da Educação para o “carecão”.

 

 

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais