Temos três bons candidatos

3 de agosto de 2016 09:33 | Rogério Côlvero
Temos três bons candidatos

Xanxerê já tem três bons nomes de candidatos a prefeito que disputarão as eleições municipais e, pela listagem da Méritus que faz pesquisa no centro da cidade, temos 60 nomes que poderão concorrer a eleição para vereador.  Adenilso Biasus (PMDB), nome forte do partido, jovem advogado, mais votado para vereador nas últimas eleições, atencioso com o povo, conhecedor da coisa pública – atua como advogado de prefeituras – e mostra-se desde já disposto a prestar bons serviços pelo município, visando o desenvolvimento e o bem-estar da comunidade.  Avelino Menegolla (PSD) outro nome forte que vem para concorrer ao terceiro mandato – já foi prefeito por oito anos – e depois de um tempo, volta a disputar a eleição municipal. Tido como pessoa de boa índole, amigo, houve bastante e fala pouco, tem decisão e de boa experiência no trato das coisas públicas. Alessandro Antoniolli (PT), professor de carreira no magistério, conhecido no meio estudantil como o Professor Alessandro, inteligente, tido como bom companheiro, respeitador, cumpridor de seu dever, foi candidato a vereador, ficou suplente e teve a oportunidade de assumir o mandato no Legislativo.  Para o povo de Xanxerê, sem dúvidas, será difícil escolher, pois os três têm intenções de trabalhar muito pelo município.

Prá que vice?

O vice pode ser uma pessoa com muito dinheiro para “auxiliar” financeiramente a campanha ou com grande popularidade para conquistar votos. O cargo de vice as vezes é meramente decorativo (como foi Michel Temer no primeiro mandato de Dilma) que se torna um grande torcedor que fica o tempo todo torcendo para a queda do titular e ele poder assumir o cargo.  Em outras épocas (antes de 1964), o eleitor escolhia e votava num candidato a vice, independente do atrelamento que existe hoje onde se vota no prefeito e o vice vem junto. Então, chegando a conclusão, vice é apenas vice.  Talvez seja por isto que estão demorando tanto para “encontrar” um vice.

Campanha curta, rápida

A campanha política deste ano será curta, rápida, sem muito dinheiro e a grande expectativa dos candidatos é aproveitar o espaço da televisão – em Xanxerê via RIC-TV. É bom lembrar aos candidatos a vereança que vai valer muito o cara a cara com o eleitor para pedir o voto. Cada um deverá sair de casa já com no mínimo 100 votos – o dele e mais 99 dos familiares e amigos próximos. Deve valer, outra vez, o esquema das empresas reunirem seus funcionários, apresentar o candidato e o patrão, depois mostrar o caminho…

“Fundo do Poço”

O deputado estadual Romildo Titon (PMDB) compareceu ontem ao Tribunal com o início das audiências dos envolvidos na Operação Fundo do Poço. Um militar, Major Fabrício Berto da Silveira, foi testemunha de acusação que na época dos fatos trabalhava na coordenação do GAECO do MP, responsável pelas investigações. As ocorrências foram registradas em Tangará, Videira e Lages e depois a rede chegou a 105 cidades. As fraudes consistiam em forjar licitações para a perfuração de poços artesianos. O processo envolve um deputado estadual – Romildo Titon (PMDB) que na época era presidente da Assembleia Legislativa -, um secretário regional, três prefeitos, dois vice-prefeitos, seis ex-prefeitos, 15 servidores, 9 empresários, 8 empregados e um advogado. Segundo o Major Berto da Silveira, uma das empresas envolvidas teria feito, também, um poço artesiano na propriedade do deputado Titon como parte de um dos acordos. O advogado de Titon, Cláudio Gastão da Rosa Filho, garantiu que Titon “provará sua inocência”.

Custou cara a saída da cadeia

Foram R$ 31 milhões o pagamento da fiança para sair da cadeia – valor pago pelo marqueteiro João Santana e sua mulher, após cinco meses presos pela Operação Lava Jato. Santana e Mônica trabalharam na campanha política para reeleger Dilma.

FALA POVO

– “ Fiquei contente ontem, falando com o jovem e competente advogado Paulo Munareti que disse ser assíduo leitor desta coluna. Muito obrigado doutor Paulo.”

– “ Quem está na chuva pode se molhar. Quem diz o que pensa e escreve, está sujeito a trovoadas e relâmpagos. Quem está na área de imprensa por muitos anos, nem esquenta…”

– “Nesta época alguns políticos ainda pensam que mandam em todos e querem comandar até quem está na imprensa. Sai fora, o tempo do Sassá já passou. “

– “Bonito de ver! A máquina da Méritus está na esquina das Ruas 7 de Setembro com Av.Brasil. A pesquisa aponta três candidatos a prefeito e 60 nomes de candidatos a vereador. Basta escolher.”

– Este colunista já está se preparando para as férias em setembro, até depois das eleições. Terei que justificar meu voto lá pelo litoral. Fui convidado a participar da campanha de Ângela Amin a prefeita da capital.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais