A proposta de reforma do ensino médio rebaixa a qualidade do ensino, diz coordenador estadual do Sinte

20 de outubro de 2016 16:19
Comunidade , Educação , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
A proposta de reforma do ensino médio rebaixa a qualidade do ensino, diz coordenador estadual do Sinte Encontro aconteceu em Xanxerê (Fotos: Guilherme Rosa)

 

Acontece durante esta tarde em Xanxerê o Seminário Regional do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte/SC), no Anfiteatro da Unoesc.  Serão duas palestras abordando temáticas voltadas à educação e a reforma do ensino médio.

A Presidente da Comissão Educação, Cultura e Desporto e deputada Luciane Carminatti, esteve presente no evento e comentou estar feliz em ver a participação dos alunos que lotaram o auditório.

“Nós temos observado nos últimos meses, devido as diversas medidas de corte do governo federal nós temos visto o protagonismo dos estudantes isso é fundamental. No nosso grande Oeste os alunos estão se mobilizando e se colocando contra a reforma do ensino médio que divide os alunos entre alunos que serão operários e alunos que serão os mandatários, isso nós já tínhamos superado na educação brasileira. Os estudantes têm que ser o nosso futuro, a massa crítica e tem que sair com condições de intervir na sociedade”, destaca.

 

Reforma do Ensino médio

Aldoir Kraemer, coordenador estadual do sindicato dos trabalhadores da educação de Santa Catarina comentou o assunto, em entrevista a Rádio Princesa.

“De fato, nós temos um conjunto de legislações em processo de aprovação em nível federal que atinge frontalmente a sociedade em especial a educação. Se nós falamos aqui da PEC 241 que prevê o congelamento dos recursos para a educação em 20 anos nós estamos falando de uma questão que era inimaginável.  A reforma do ensino médio que está rebaixado na sua base curricular comum hoje nós temos 2400 horas na base do currículo comum e na nova proposta teria 1200 horas apenas, ou seja, a metade do que engloba todas as áreas do conhecimento, para que se dedique as outras horas apenas para áreas dedicadas ao trabalho. Nós tivemos no passado, na época da ditadura militar uma proposta parecida, essa não é uma formação completa e por isso damos uma contrariedade muito grande”.

Kraemer destaca que o Sinte já vê a mobilização dos alunos, contra a reforma, “os alunos estão fazendo debate, percebendo o que significaria esse novo ensino médio, hoje nesse seminário temos alunos de todas as regionais pois eles serão os atingidos diretos, essa proposta rebaixa a qualidade do ensino”.

 

Aposentadoria dos professores

“Hoje os professores se aposentam cinco anos antes do restante da população, para as mulheres são necessários 25 anos de sala de aula e para os homens 30 anos, com idade mínima de 50 e 55. O que o governo está propondo é uma idade mínima para aposentadoria de 65 anos isso significaria para as mulheres 15 anos a mais em sala de aula e para os homens 10 anos a mais”.

whatsapp-image-2016-10-20-at-15-35-08


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais