Administração e comunidade do Bairro Santa Cruz atuam em conjunto para evitar fechamento de cemei

9 de outubro de 2018 10:48 | Educação , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Administração e comunidade do Bairro Santa Cruz atuam em conjunto para evitar fechamento de cemei (Foto: Alessandra Oliveira/Lance Notícias)

No final do mês de setembro, a secretária de Educação, Claudia Favero, o prefeito em exercício Ivan Marques e o promotor de Infância e Juventude, Marcionei Mendes estiveram reunidos com pais e moradores do Bairro Santa Cruz para discutir a situação do cemei Rui Pimentel, que funciona no local. O objetivo foi pedir a colaboração dos moradores, para que a creche possa continuar funcionando.

Conforme Claudia, a reunião foi convocada após o município receber um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) da promotoria pública, para regularizar a situação do local que, atualmente, atende cerca de 40 crianças.

“Tivemos uma reunião com o promotor, ele até propôs um TAC, porque tínhamos que resolver algumas situações lá. Por ora, não assinamos o TAC, porque a comunidade não ajudava cuidar. Por exemplo, trocávamos o vidro em um dia, no outro já estava quebrado de novo, eles reclamavam que não investimos lá, mas não sobra verba, pois só para os reparos necessários, o valor era muito alto. Diante disso, sentamos com a comunidade, agora também foi criada uma associação de moradores lá, e a reunião foi bem produtiva”, comenta.

Após a conversa, a comunidade se comprometeu a auxiliar na manutenção do local, assim como zelar pelo patrimônio. Além disso, Dois moradores, vizinhos do local, assinaram TACs para regularizar sua situação. Conforme Claudia, um dos vizinhos do local mantinha uma criação de animais muito próxima a creche, o que causava infestação de insetos no cemei.

“Pedimos esse apoio da comunidade, pois os custos são muito altos lá, porque arrumamos tudo em uma semana, na outra já precisava fazer a manutenção novamente, porque as pessoas não cuidavam. Estudamos, inclusive, a possibilidade de disponibilizar transporte para as crianças irem até o Caic, pois ali elas correm risco e não podemos deixar isso acontecer. Queremos manter a creche, pois as crianças estão mais próximas da família, mas precisamos do apoio da comunidade para evitar a depredação do local”, comenta.

Conforme Claudia, com a associação de moradores, houve um comprometimento maior da comunidade para cuidar da creche e manter o local aberto. Os vidros foram trocados novamente e os moradores estão cuidando dessa vez. Além disso, até o final do ano estão programadas mais melhorias para o local.

“Eles já limparam a rua, foram trocados os vidros e não quebraram mais, vamos trabalhar em parceria com a comunidade. Conversamos com a comunidade, nesse primeiro momento foi surpreendente como eles vão nos ajudar. Vamos pintar, organizar o local e acompanhar até o fim do ano como vai proceder”, destaca.

A Administração e a promotoria irão acompanhar a situação do local até o final deste ano. Caso as depredações voltem a acontecer, os alunos serão realocados para outras unidades e o município irá disponibilizar transporte público para o deslocamento das crianças.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais