Agricultor aciona o MP para garantir transporte escolar de filha em Xanxerê

15 de junho de 2016 10:53
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Agricultor aciona o MP para garantir transporte escolar de filha em Xanxerê Pai procurou o ministério público para garantir o transporte escolar para sua filha de 14 anos. (Foto:Divulgação)

Clovis Bão, agricultor, que reside na Linha Barro Preto, interior de Xanxerê, procurou o ministério público para garantir o transporte escolar para sua filha de 14 anos. Segundo ele, sua filha estudava em escola pública e por dificuldade de ensino buscou uma rede particular. No entanto, por residir no interior não há transporte privado, apenas o público e este não quer levar sua filha até a escola.

“Eles já faziam esse transporte há três anos e esse ano não querem fazer, antes a prefeitura levava ela até duas quadras do colégio e isso já está suficiente, não precisa deixar na porta da escola, mas tem que deixar perto pelo menos ”, comenta.

Segundo Clovis, a justificativa do setor de transporte público do município é por ela frequentar escola particular, então transporte não pode ser público. “Como é escola particular eles não querem levar, só levam de escola pública, mas ela só estuda em escola particular porque conseguiu bolsa e na escola pública estava tendo dificuldades em aprender”.

O mesmo comenta que já procurou um transporte particular para sua filha, porém por morar no interior do município, não há veículo que faça o transporte, “como eu moro no interior não tem transporte particular que passa por lá. Eu queria pagar um, mas não encontrei. Hoje ela para no Czepanhik, onde eu pago um taxi para levar ela até o colégio que ela estuda, no Intelectus, mas os horários não fecham, as vezes o taxi está em uma corrida e não tem como buscá-la, ela já chegou diversas vezes atrasada e já perdeu aula também”.

Clovis relata que para tentar resolver a situação buscou ajuda do ministério público, “eu procurei o promotor, pois a prefeitura me informou que se o promotor liberasse eles poderiam fazer, pois iria ficar sobre responsabilidade do promotor, já que eles alegam que se mudar o itinerário vai dar problema com o ministério público. Só que eu vejo que tem o estatuto da criança e adolescente, pois se não pode trabalhar antes dos 18 anos, porque existe tanta dificuldade para estudar e principalmente por falta de transporte. Eu não estou exigindo que levem na porta da escola, eu só quero deixa duas quadras longe para que seja mais correto para eles também e fica mais prático”.

O mesmo comenta que o promotor já havia liberado o transporte, porém o setor responsável não repassou para ele a documentação completa, “o promotor já havia liberado a documentação, mas a prefeitura me apresentou apenas o primeiro parágrafo e a segunda parte em que o promotor liberou para fazer o transporte não me mostraram, então eu fui até o promotor e peguei a documentação completa e vou ir lá novamente”.

Clovis finaliza “O estudo é o único bem que eu tenho para deixar para minha filha, porque o capital, uma hora temos e outra não, já o ensino ninguém tira e eu vou lutar por isso”.

(Foto: Patrícia Silva/ Lance Notícias)

DSC_0459

(Foto: Patrícia Silva/ Lance Notícias)

 

Prefeitura comenta

Em contato com Valmor José Moreschi, coordenador da administração pessoal da prefeitura, ele comenta, “Nós não podemos ir contra a lei, como o transporte público é pago com dinheiro público não tem como levar em uma escola particular, pois a lei entende que se você pode pagar um colégio particular para seu filho, você tem condições para pagar um transporte e arcar com os gastos. E como ele foi no ministério público, se promotor liberar, ou seja, que ele se autorizar eu vou estar dentro de uma situação legal, não posso fazer coisa errada, se for liberado o transporte vai ser liberado. Nós não estamos negando transporte, só não podemos ir contra a lei”.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais