Alerta: região de Xanxerê registra mais de 300 casos de sífilis em 2018

30 de janeiro de 2019 14:49
Comunidade , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Alerta: região de Xanxerê registra mais de 300 casos de sífilis em 2018 Foto: Divulgação

Os casos de sífilis registrados na região de Xanxerê são alarmantes. Em uma comparação de 2015 a 2018, o aumento foi de mais de 80%. A sífilis é uma doença grave transmitida normalmente pelo ato sexual e pode se apresentar das mais variadas formas clínicas sendo classificada em diferentes estágios, como primária, secundária, latente e terciária.

A notificação dos casos ocorre de três métodos, sendo: sífilis congênita (registrada em bebês); sífilis em gestantes e sífilis não especificada (registrada em mulheres não gravidas e homens).

Confira o número de casos registrados de acordo com dados repassados pela Gerência de Saúde da Regional de Xanxerê:

Ano: 2015

Sífilis congênita: 14 casos

Sífilis em gestantes: 45 casos

Sífilis não especificada: 17 casos

Total: 76 casos 

 

Ano: 2016

Sífilis congênita: 27 casos

Sífilis em gestantes: 65 casos

Sífilis não especificada: 45 casos

Total: 137

                           

Ano: 2017                                                                                             

Sífilis congênita: 45 casos

Sífilis em gestantes: 100 casos

Sífilis não especificada: 160 casos

Total: 305 casos   

 

Ano: 2018          

Sífilis congênita: 52 casos

Sífilis em gestantes: 112 casos

Sífilis não especificada: 150 casos

Total: 314 casos

                                                                         

– Nós notificamos a sífilis congênita, sífilis em gestante e sífilis não especificada, que é em adultos. É um comparativo. Teve um acrescimento alarmante de 2015 a 2018 e isso é o que chega até nós, fora os que acabam negligenciando. A recomendação é proteção, hoje temos o preservativo e essa é a recomendação – comenta a enfermeira da Gerência, Daniela Debastiani Volpato.

A Gerência de Xanxerê atende os seguintes municípios: Xanxerê; Xaxim; Lajeado Grande; Faxinal dos Guedes; Vargeão; Passos Maia; Ponte Serrada; Bom Jesus; São Domingos; Ipuaçu; Ouro Verde; Entre Rios; Abelardo Luz; Jupiá; Galvão e Coronel Martins.

 

Principais sintomas da sífilis

Sífilis primária é o estágio inicial da doença, que surge cerca de três semanas após o contágio. Essa fase é caracterizada pelo aparecimento do cancro duro, pequenas lesões avermelhadas nos órgãos genitais que acabam desaparecendo após quatro ou cinco semanas, sem deixar cicatrizes.

Sífilis secundária aparecem manchas vermelhas na pele, na boca, no nariz, nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, descamação da pele, ínguas em todo o corpo, mas principalmente na região genital, dor de cabeça, dor muscular, dor de garganta, mal estar, febre leve, falta de apetite e perda de peso.

Sífilis terciária aparece em pessoas que não conseguiram combater espontaneamente a doença na sua fase secundária ou que não fizeram o tratamento adequado. Neste estágio, a sífilis é caracterizada por lesões maiores na pele, boca e nariz, problemas em órgãos internos coração, nervos, ossos, músculos, fígado e vasos sanguíneos, dor de cabeça constante, náuseas e vômitos frequentes; rigidez do pescoço, com dificuldade para movimentar a cabeça, convulsões, perda auditiva, vertigem, insônia e AVC, reflexos exagerados e pupilas dilatadas.

Sintoma de sífilis congênita é quando o bebê é infectado com sífilis ainda durante a gestação, e isso acontece quando a mulher grávida tem sífilis e não faz o tratamento da doença. A sífilis durante a gravidez pode causar aborto, má formações ou morte do bebê ao nascer. Em bebês vivos, os sintomas podem surgir desde as primeiras semanas de vida até mais de dois anos após o nascimento.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais