Pittol
Pittol

Aluno de nove anos leva facas para brigar com colega em escola de Faxinal dos Guedes

Patrícia Silva | Polícia | 22/06/2022 10:00
Aluno de nove anos leva facas para brigar com colega em escola de Faxinal dos Guedes
Compartilhar no Whatsapp
Visualizações: 17558

Na terça-feira (21), um aluno de nove anos teria levado uma faca para uma escola de Faxinal dos Guedes, com o intuito de brigar com um colega, de dez. a briga em si não aconteceu, a Polícia Militar foi acionada e recolheu a arma branca, no entanto, a situação deixou os pais preocupados.

A Polícia Militar informou que foi acionada pela direção de uma unidade escolar, informando que um aluno estaria com uma faca na mochila. A Guarnição da PM deslocou até o local confirmou que aluno de nove anos estaria com uma faca de mesa na mochila e após diálogo entre direção e aluno foi informado pelo aluno que teria outra faca escondida nas imediações da escola e foi localizada. Diante dos fatos acionado os pais que compareceram no educandário e o Conselho Tutelar que não se fez presente. Criança ficou aos cuidados dos pais e armas branca (facas) foram recolhidas para os devidos encaminhamentos.

Em contato com o Conselho Tutelar, a responsável Patrícia de Paula do Nascimento comentou que o conselho já fez os encaminhamentos cabíveis neste caso.

– Fomos acionados, não deslocamos até a escola, pois os pais e a Polícia já estavam na escola e o Conselho Tutelar é um órgão de proteção, não punição. Após o ocorrido, a mãe do menor envolvido esteve no Conselho, e nós fizemos todos os encaminhamentos necessários – explica. Questionada se o menino de nove anos já é acompanhado pelo Conselho Tutelar, ela comenta que a família já passou por atendimento.

Já a Administração Municipal de Faxinal dos Guedes, por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa, comentou que a Secretaria Municipal de Educação já tomou as medidas cabíveis.

– O Conselho Tutelar é um órgão autônomo, que não é subordinado ao poder Executivo, Legislativo e Judiciário. Por isso que são eleitos para a defesa do Estatuto da Criança e do Adolescente em suas várias abrangências e que no caso em concreto,  a Secretária Municipal de Educação já tomou as medidas cabíveis enquanto unidade escolar contudo, o conselho tutelar deveria sim fazer os atendimentos cabíveis com relação a conduta do menor, inclusive oficiando o Ministério Público correspondente a Vara da Infância para acompanhamento do feito entre outras medidas que requer o caso voltado novamente ao Estatuto da Criança e do Adolescente – disse.

 

Deixe seu comentário

Acesse nosso grupo de notícias