Alunos da Apae de Xanxerê desenvolvem atividades alusivas ao Agosto Laranja

12 de agosto de 2019 11:38 | Visualizações: 44
Comunidade Compartilhar no Whatsapp

Foto: Divulgação

Neste mês é lembrado e realizadas ações por meio do Agosto Laranja. A Federação das Apaes de Santa Catarina implantou em 2012 o Programa Prevenir nas Apaes. Esse programa tem por objetivo reconhecer e incentivar ações de prevenção realizadas na entidade e levar informações de que é possível prevenir diminuindo, significativamente, as deficiências.

Pensando nisso, a Escola Especial Helena Adams Keller – Apae de Xanxerê, busca desenvolver atividades o ano todo sobre prevenção de deficiências com palestras à comunidade, clubes de serviço, profissionais da saúde e educação, em escolas com crianças e adolescentes.

Além disso, realiza também panfletagens, participação em seminários, ações com familiares dos usuários da instituição, projetos desenvolvidos dentro da instituição como Viver Bem, Super +ação, Conviver e Autodefensoria, Cidadania, Autismo, além de apresentações culturais visando a autonomia dos usuários com deficiência, entre outros.

Especialmente neste mês de agosto, além de instituir o Agosto Laranja como lei municipal, os alunos participarão da Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla onde estarão mostrando à comunidade o potencial das pessoas com deficiência.

Aproximadamente, 650 milhões de pessoas apresentam alguma deficiência, ou seja, uma em cada dez pessoas no mundo. No Brasil, são 45,6 milhões que tem algum tipo de deficiência, seja ela visual, auditiva, motora, ou intelectual, sendo que isso representa 24% dos brasileiros.

As causas são diversas. Estima-se, que pelo menos, 70% dos casos poderiam ser evitados ou atenuados com medidas preventivas. A prevenção é o primeiro passo e está relacionada a diferentes tipos de ações, desde os cuidados básicos com a saúde em todas as etapas da vida.

 

Fases da prevenção

Primária: Prevenir antes que apareça a deficiência por meio de vacinação, conscientização da comunidade, melhoria do saneamento básico, acompanhamento durante a gestação, condições de parto adequadas e o acompanhamento da saúde e do desenvolvimento da criança nos primeiros anos de vida.

Secundária: Diminuir as consequências da deficiência uma vez instalada, por meio de atendimento especializado para avaliar a causa, diagnóstico, tratamento e atendimento, impedindo as limitações que poderão surgir.

Terciária: Proporcionar o atendimento adequado, conforme a necessidade de cada indivíduo, na intenção de evitar o agravamento da deficiência e de promover inclusão social com qualidade de vida.

Investir nas ações educativas acerca da saúde individual e coletiva é uma estratégia simples, de baixo custo e que podem ser aplicadas no cotidiano, facilitando o acesso a informações, orientações e boas práticas e campanhas de conscientização e prevenção.


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais