Amai sedia curso voltado à rede de atendimento ao imigrante

Mais de 20 cidades participam do Curso voltado aos profissionais da Rede de atendimento ao Imigrante, iniciativa única no Brasil.

21 de outubro de 2019 15:11 | Visualizações: 1306
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Amai sedia curso voltado à rede de atendimento ao imigrante Fotos: Assessoria

A Amai em parceria com a Polícia Federal (PF) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SDS) realiza, hoje (21), na sede da Associação, o curso voltado à rede de atendimento ao imigrante. Este é o primeiro curso realizado pela Policia Federal em todo Brasil. A iniciativa surgiu da demanda regional com a alta incidência de imigrantes.

Segundo o agente Administrativo de Polícia Federal e Responsável pelo Núcleo de Migrações da Delegacia de Polícia Federal em Chapecó, Alcione Vergil e um dos ministrantes, a PF possui muitas informações a respeito da imigração e este curso possibilitará que o conhecimento chegue aos municípios que atendem diretamente aos imigrantes e suas demandas.

A circuncisão da PF de Chapecó é a maior macrorregião de Santa Catarina em número de municípios, são 84 atendidos e segundo Alcione as pessoas as vezes precisam se deslocar dos municípios à Chapecó as vezes por uma simples informação. “Não queremos isso, e sim, que os municípios tenham a facilidade de atendimento ao imigrante. Por isso desenvolvemos este curso que é inédito no Brasil e inédito na Policia Federal, então estamos sendo pioneiros”, destaca.

Ainda segundo Alcione a região Oeste concentra o maior número de imigrantes do estado, um dos motivos é porque a região vive uma fase de pleno empreg, e també possui grande demanda de trabalho devido as agroindústrias.

– Somente em Chapecó residem mais de seis mil haitianos, na região como um todo, podemos ter de 13 a 15 mil haitianos, fora as demais etnias. Temos um grande número, pois absorvemos a mão de obra – explica.

Para a Gerente de Políticas para Igualdade Racial e Imigrantes do Governo do Estado e também ministrante, Regina C. da Silva Suenes, a Secretaria recém-formada já inicia com uma demanda muito grande de trabalho pois o Estado já é composto historicamente por imigrantes.

– Ao longo da história as coisas foram se perdendo e agora temos novamente a demanda grande – comenta.

Segundo Regina, primeiramente a secretaria realizou um levantamento de dados para elaborar um diagnóstico através do Cadastro Único do Governo Federal. A partir dos dados verificaram as principais dificuldades que iniciam na adaptação da língua e emissão de documentação, motivos que levaram a criação do curso.

O curso reúne aproximadamente 60 participantes de mais de 20 municípios das regiões Amai e Amnoroeste. Estima-se que na região Amai residam aproximadamente seis mil haitianos, entre os registrados e empregados e os ainda informais, crianças e os que ainda não possuem registro empregatício.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais