Amianto: Vigilância Sanitária fiscaliza comercialização da substância em Xanxerê

6 de outubro de 2016 10:59 | Comunidade , Saúde Compartilhar no Whatsapp
Amianto: Vigilância Sanitária fiscaliza comercialização da substância em Xanxerê Vigilância fiscaliza comercialização de amianto no comércio de Xanxerê (Foto: Reprodução)

 

O amianto é um mineral que ocorre na natureza. Uma variedade da substância, o amianto branco é usado na indústria da construção civil como na produção de algumas telhas e caixas d’água. Porém, a produção e comercialização do Amianto no Brasil ainda gera muito debate. A maior questão é relacionada à saúde, onde estudos afirmam que o amianto pode ser cancerígeno.

Em Xanxerê, segundo levantamento da Vigilância Sanitária, cerca de 30 empresas trabalharam ou trabalham com a substância. Nesta semana, uma fiscalização foi realizada nas empresas do município com o objetivo de acabar com a comercialização do amianto e de fazer um levantamento sobre a saúde do trabalhador.

“A gente começou ainda na terça-feira (4) fazer uma fiscalização e orientação em relação ao Amianto que é proibido de ser utilizado em fabricação de telhas, ou caixas d’água. Por que é um produto que pode ser cancerígeno. O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) é um órgão que fiscaliza a saúde do trabalhador, ou seja, eles solicitaram as vigilâncias sanitárias de todo o estado que façam um levantamento de empresas que trabalham ou trabalharam com o Amianto ou derivados. Então nós, temos cerca de 30 empresas que trabalharam, algumas ainda estão trabalhando, lembrando que este produto é proibido”.

 

Empresas terão que fornecer relatório de trabalhadores que tiveram contato com amianto

O objetivo do Cerest é desenvolver um plano de trabalho na área da saúde dos trabalhadores que tiveram contato com o amianto e possam vir a desenvolver um problema.

“Fizemos um relatório e encaminhamos para o Cerest, agora essas empresas terão que fornecer a ficha de todos os funcionários que trabalharam com o amianto nos últimos 10 anos. Muitas pessoas estão tendo problemas de saúde agora por ter trabalhado com o amianto no passado, agora é necessário esse levantamento para que o Cerest trace um plano de ação para se trabalhar a saúde desse trabalhador seja ele aposentado ou ainda na ativa”.

 

Empresas não podem trabalhar com amianto

“Essas empresas já são proibidas de trabalhar com esse produto e eles terão que parar. Por isso estamos fazendo esse trabalho, nesse primeiro momento comunicando as ferragens e lojas que vendem esses produtos, orientando, mas se na próxima fase da fiscalização percebermos que as empresas continuam vendendo esses produtos se inicia todo um processo administrativo que a Vigilância vai desencadear”.

 

Riscos do Amianto

Fragmentos microscópicos de fibras de amianto são potencialmente perigosos quando inalados e podem provocar doenças respiratórias:

– Câncer de pulmão, que é o mais comum em pessoas expostas ao amianto;

– Mesotelioma, uma forma de câncer no peito que praticamente só ocorre em pessoas expostas ao amianto;

– Asbestose, uma doença que causa falta de ar e pode levar a problemas respiratórios mais graves.

O amianto branco, conhecido como crisotila, é a única forma de amianto usada hoje. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que a variação também é associada ao mesotelioma e outros tipos de câncer, mas seus produtores dizem que a substância é segura se manejada com cuidado.

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais