Às vésperas do saque FGTS, golpe via Whatsapp é aplicado na população

12 de setembro de 2019 14:37 | Visualizações: 116
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Às vésperas do saque FGTS, golpe via Whatsapp é aplicado na população Foto: Divulgação

Nesta sexta-feira (13) começa a ser liberado o saque de até R$ 500 do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), porém cresce a circulação de mensagens falsas atribuídas à Caixa, no Whatsapp ou até mesmo via e-mail. Atenção, isso trata-se de um golpe! As mensagens são bastante diversas, mas todas têm o objetivo de roubar dados bancários dos usuários. O golpe já atingiu mais de 130 mil pessoas em apenas dois dias.

Algumas mensagens prometem saque imediato do FGTS, enquanto outras avisam que o usuário tem mais de duas contas para serem sacadas e que, por isso, o sistema unificou o saldo de ambas. As mensagens, ainda, perguntam se o usuário deseja sacar todo o seu FGTS ou se sacou algum valor nos últimos três meses. Independentemente da resposta, o usuário é encaminhado para uma nova página, que o induz a compartilhar o link com mais dez amigos do Whatsapp para liberar o suposto saque.

Em outro golpe, são divulgadas informações falsas sobre um pagamento retroativo de R$ 1.760 do FGTS. A vítima é induzida a informar seus dados pessoais e a compartilhar o link com cinco amigos no Whatsapp para poder ter acesso à confirmação e ao recebimento do benefício. Os golpistas chegam ao ponto, inclusive, de mostrar depoimentos falsos de Facebook sobre saques bem-sucedidos do FGTS.

 

Orientações da Caixa

Mas qual é a orientação nesses casos? A Caixa esclarece que não envia mensagens nem links sobre saques das contas do FGTS por e-mail, SMS ou Whatsapp. O banco também afirma que não solicita senhas, dados ou informações pessoais do trabalhador.

A Caixa orienta que os trabalhadores busquem informações sobre FGTS disponíveis no site do FGTS, no app do FGTS, no telefone 0800-726-0207 ou em suas agências.

Com informações Valor Investe


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais