Atenção pais: psicóloga faz considerações sobre o Jogo Baleia Azul

2 de maio de 2017 10:16
Comunidade , Saúde , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Atenção pais: psicóloga faz considerações sobre o Jogo Baleia Azul Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias

O Jogo Baleia Azul tem deixado muitos pais preocupados. O jogo consiste em tarefas que a criança e adolescente precisam realizar e no fim, leva ao suicídio. Diversos casos já foram registrados, inclusive no oeste catarinense.

Para esclarecer algumas dúvidas, o Lance Notícias conversou com a psicóloga Janete Rossi Ribeiro que explica mais detalhes, principalmente sobre o que leva o menor a se envolver com o jogo e orienta os pais a como agir em casos de envolvimento.

 

Acompanhe a entrevista:

 

Lance Notícias- Descobri que meu filho está se envolvendo com o jogo, como devo proceder?

Psicóloga-  buscar o diálogo com seu filho e oferecer ajuda e conforto, pois a criança e/ou adolescente está se sentindo ameaçado e sem saída, com a ajuda dos pais a busca por ajuda se torna mais racional e efetiva. Muitas vezes esta aproximação de conforto nem sempre é fácil, pois na maioria das vezes a criança e/ ou adolescente está muito distante do diálogo, fica muito isolado e fora do convívio sadio do restante da família, o ideal é sempre ficar próximo dos filhos e buscar sempre compreender as suas necessidades e a fase pela qual está passando.

Lance Notícias- O que leva uma criança/adolescente a se envolver com um jogo que leva ao suicídio?

Psicóloga- De certa forma, o período da adolescência é uma fase de autoconhecimento e formação da personalidade, portanto neste período onde a criança e/ ou adolescente busca a identificação com o grupo de pares e é exatamente nesta fase onde as ansiedades surgem com mais força, por isso acabam se identificando com jogos onde possam se desafiar e provar para si e para os demais que são capazes de vencer perigos e burlar regras numa busca por autoafirmação.

Lance Notícias- Tem maneiras de perceber que a criança está com problemas e impedir o suicídio?

Psicóloga- Sim, é preciso deixar claro que perceber isso demanda certa atenção dos pais, se os pais conhecem seus filhos e acompanham efetivamente o desenvolvimento de seus filhos e claro monitorar suas atividades na web, fica mais fácil perceber se há algo de errado, por exemplo isolamento demasiado, irritabilidade, choros, machucados em partes do corpo como pescoço, pulsos e em partes dos braços. A questão de maior atenção é, prestar atenção a qualquer mudança súbita de comportamento e que denotem os sintomas citados.

Lance NotíciasQue aspectos levam a criança a ficar com intenções de suicídio?

Psicóloga- Esta questão vem sendo estudada amplamente, pois de alguns poucos anos pra cá os casos de suicídio nesta faixa etária tem ganhado maior repercussão  e conhecimento por parte dos profissionais, mas o que se sabe é que esta faixa etária precisa de maior atenção e espaço para poder se manifestar emocionalmente e aprender a falar sobre seus sentimentos, as grandes mudanças do convívio familiar, a falta de diálogo ente pais e filhos tende a crescer o nível de angústia e ansiedade e é exatamente aí que mora o perigo, pois ficam suscetíveis às influências da sociedade. Proporcionar espaços em que eles se sintam acolhidos emocionalmente e o diálogo é o melhor remédio. É preciso romper o silêncio das crianças e adolescentes.
Lance Notícias- Como prevenir a participação dos jovens a esse jogo?

Psicóloga- A prevenção se dá quando os pais buscam o diálogo constante, aproximam-se de seus filhos e estabelecem uma relação de confiança, estar disponível aos filhos, ter tempo de ouvir suas necessidades, medos e angústias e claro monitorar suas atividades na web.

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais