Atleta xanxerense se destaca em time de vôlei paulista

26 de novembro de 2018 18:28
Esporte em destaque , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Atleta xanxerense se destaca em time de vôlei paulista (Fotos: Arquivo Pessoal)

O xanxerense Gabriel Damer, de 17 anos, começou sua carreira no vôlei cedo, aos nove anos de idade, treinando em um projeto incentivado pela prefeitura, sendo treinado pelo professor Luiz Vicente, mais conhecido como Preto.

Iniciou no esporte por influência da irmã, que já era atleta. Entretanto, segundo Gabriel, sua irmã parou e ele seguiu no vôlei.

­­– No começo era só pra passar o tempo, porque eu estudava no período da manhã e à tarde ficava sem fazer nada e eu queria começar algum esporte e fui na influência da minha irmã – lembra.

Prestes a fazer 18 anos, o jovem garante que descobriu que estava na carreira certa no ano de 2015, quando recebeu seu primeiro convite para jogar fora do município, logo após representar Xanxerê em uma competição estadual.

– Logo após uma estadual da Olesc, Santo Amaro da imperatriz entrou em contato comigo e me convidou para no ano seguinte fazer parte da equipe e em 2016, participando de competições, tive a certeza de que era isso que eu queria – conta.

No ano seguinte, representou Chapecó e, neste ano, foi convidado para fazer parte do time de Suzano (SP), uma das equipes mais tradicionais do país.

Gabriel iniciou a carreira como levantador, mas, desde 2013, ocupa a posição de líbero. Sobre os jogos, títulos e competições mais marcantes, o jovem destaca os títulos conquistados junto a equipe de sua terra natal.

– Os primeiros títulos por Xanxerê, que foi onde comecei, foram os que mais me marcaram. Em 2015 ganhamos a Liga Oeste de Vôlei e o regional da Olesc, foram as competições que mais me marcaram. Esse ano, o Campeonato Paulista Sub 19 é a competição mais forte que eu já joguei e para mim está sendo bem importante. Tivemos uma campanha muito boa, passamos em primeiro na classificação e essa competição também me marcou – destaca.

 

Planos

Para o futuro, Gabriel pretende seguir na carreira, mas ainda não sabe ao certo o clube em que deve atuar no próximo ano.

– Eu pretendo continuar jogando. O meu contrato com Suzano é de um ano, porque o time só tem categoria sub 19 e ano que vem já sou sub 21 e ainda não sabem se vai ter essa categoria aqui. Essa semana eu devo sentar com a comissão técnica e conversar sobre isso. Se não der pra renovar com Suzano, vou aguardar as propostas e novos convites de clubes – explica.

Sobre a temporada desse ano, Gabriel diz que o time teve uma boa atuação, perdeu poucos jogos, mas agora deve disputar o terceiro lugar após perder a semifinal.

– A nossa temporada foi ótima. Terminamos o primeiro turno da classificaria invictos com nove vitórias, e no segundo turno da classificatória perdemos apenas dois jogos. Terminando o classificatória com 16 vitórias e três derrotas, em primeiro isolado na tabela. Nas quartas de final eliminamos o time de São Caetano e na semifinal acabamos perdendo pro Sesi. Não era o que esperávamos, mas foi um jogo decidido no detalhe – frisa.

 

Desafios

Dentre os desafios, Gabriel diz que o maior deles é a saudade da família, que consegue acompanhar a grande maioria dos seus jogos apenas por transmissões na televisão e internet.

– Mesmo sendo o terceiro ano jogando fora, a família perto faz muita falta ainda. Mas minha família me apoia muito e isso me conforta e dá forças pra continuar. Tirando isso, o resto eu achei bem tranquilo me acostumei rápido na cidade. A cidade de Suzano é muito famosa pela grande história no vôlei, tanto que falam que Suzano é a cidade do vôlei, então a população tem um carinho muito grande pelos “meninos do vôlei” (risos) – conta.

Após a disputa do terceiro lugar, os atletas serão liberados para as férias e Gabriel deve retornar a Xanxerê para visitar a família.

 


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais