Atletas de Xanxerê conquistam medalhas em 3ª etapa do Circuito Oeste de Tênis de Mesa

18 de julho de 2017 08:18
Comunidade , Esporte em destaque , Lance Notícias , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Atletas de Xanxerê conquistam medalhas em 3ª etapa do Circuito Oeste de Tênis de Mesa Fotos: Cristiane Aline Huff

Três atletas de Xanxerê disputaram a 3ª etapa do Circuito Oeste de Tênis de Mesa, troféu Cleberson Fernando da Silva, realizado no último sábado (15) em Concórdia. O evento reuniu 140 atletas de oito equipes, Maravilha, Pinhalzinho, Chapecó, Concórdia, São Miguel do Oeste, São Domingos, São Miguel da Boa Vista e Xanxerê. Participaram Douglas Gonzaga, Luiz Merlin que conquistou bronze e Vagner Marques Walendorff que ganhou medalha de prata na categoria Absoluto B.

Segundo Vagner, o nível de jogo está cada vez mais alto nas competições e o treinamento adequado é fundamental para melhores resultados. “Conquistamos um bom resultado. Disputamos com atletas de alto nível e que têm estrutura muito mais elevada para treinamentos, mesmo assim, levamos pra Xanxerê duas medalhas”.

A equipe está treinando em um espaço no estádio Josué Annoni, em Xanxerê, onde também desenvolvem treinamentos para algumas crianças, de forma gratuita. Devido ao espaço restrito, apenas cinco crianças treinam no momento.

A próxima etapa da liga está prevista para 21 de outubro na cidade de São Miguel do Oeste.

 

CLASSIFICAÇÃO ABSOLUTO B MASCULINO

1° Jeferson da Silva- CHA

2° VAGNER WALENDORFF – XXE

3° LUIS MERLIN – XXE

4° Ricardo Dalla Possa – ATMEX

5° Enaldy Rotava – SDO

6° Tiego Drumm – MAR

7° DOUGLAS GONZAGA – XXE

8° Everson do Nascimento – SDO

 

Uma família de mesatenistas

Uma família que chama atenção e que é admirada nos campeonatos é a de Liciane e Giovane Zuffo e seus três filhos mesatenistas, que jogam por Chapecó.

O pai jogou por um tempo, mas não seguiu no esporte e Andrey, filho mais velho do casal, com 13 anos, devido ao problema de visão e a necessidade de usar óculos, trocou as aulas de futsal pela raquete há três anos. A escolha influenciou a irmã do meio, Andressa, de 11 anos, que levava a caçula Giovana, de sete anos, junto nos treinos, “mas só para olhar”, como Giovana conta, “no primeiro dia era só para eu ficar olhando e daí o professor me chamou para treinar e eu continuei”. Devido à altura de Giovana, que fica pouco acima da mesa, a mãe conta que não era fácil o jogo, mas que isso não a fez desistir. “A mesa é quase grande demais para ela, mas isso não a impediu. É um pouco difícil que seus bracinhos são curtos”, comenta Liciane.

Na família os treinos são levados a sério, são cinco vezes na semana, “treinamos segunda, terça, quarta, sexta e sábado, que quinta temos compromisso”, explica Giovana que treina com a irmã há dois anos. A participação nos campeonatos é sempre acompanhada pelos pais. “sempre que podemos estamos acompanhando”.

Para o futuro, Giovana responde: “eu quero continuar e disputar mais medalhas”.

A exemplo da última disputa em Concórdia em que as irmãs decidiram a final na categoria sub-12. Nessa disputa em família, arbitrada pelo pai, prevaleceu o amor pelo esporte em jogo e o amor de família na comemoração do resultado final do sub-12, onde o pódio foi de Andressa e o segundo lugar de Giovana. Andrey também subiu ao pódio, conquistou medalha de ouro na categoria Sub-16 Federado.

Douglas Gonzaga

Vagner Walendorff

Luiz Merlin

Assessoria de Imprensa 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais