Bebê de Xanxerê aguarda há mais de 40 dias para realizar cirurgia. Família pede ajuda!

29 de julho de 2019 09:29 | Visualizações: 5213
Comunidade , Saúde , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Bebê de Xanxerê aguarda há mais de 40 dias para realizar cirurgia. Família pede ajuda!

A pequena Camily, de apenas cinco meses de vida, já passou por muitos desafios. Hoje, ela está internada em Florianópolis, há 47 dias, aguardando uma vaga em Joinville onde precisa realizar uma cirurgia.

Ela possui Comunicação InterAtrial (CIA), que é um defeito congênito que produz um buraco na parede entre as câmaras superiores do coração; Comunicação Interventricular (CIV) que é um tipo de cardiopatia congênita e Defeito do Septo Atrioventricular (DSAV). Por conta disso a cirurgia é fundamental. Mas, os seus pais têm enfrentado diversos problemas.

A família é de Xanxerê, reside no Bairro Vista Alegre, e há mais de um mês a saga começou. Sem UTI Infantil em Xanxerê e sem vaga em Chapecó, eles precisaram ir para Florianópolis, onde aguardam por uma vaga em Joinville, local onde será realizada a cirurgia. Mas, neste período internada, a Camily perdeu peso.

– Agora ela não ganha peso, aliás, ainda perdeu. Não consegue sair do tubo. Não respira sozinha. Então, ela precisa fazer o procedimento cirúrgico para conseguir melhorar. Ela tem cinco meses e pesa 3 quilos e 800 gramas. Ela tem Síndrome de Down e problema cardíaco. Ela veio para cá por causa da pneumonia, como em Xanxerê não tem UTI pediátrica, em Chapecó também não havia vaga, veio para Florianópolis. Chegou no hospital com quase quatro meses, fazem 46 dias que está na UTI – comenta a mãe, Vanessa Teles.

 

Dificuldades

Além da pequena Camily, os pais têm outros dois filhos que estão em Xanxerê. Enquanto a mãe está com a pequena no hospital, o pai segue trabalhando e cuidando dos outros filhos.

– Meu marido trabalha também, mas o dinheiro está curto, a gente tem alguns gastos com fralda, produtos de higiene, algumas vezes com alimentação, o hospital oferece, mas às vezes acabamos perdendo o horário da alimentação para cuidar deles aqui dentro. E quando meu marido vem para cá com meus filhos a gente precisa pagar um lugar para dormir. Porque no albergue só pode dormir uma pessoa – conta.

A família aceita qualquer tipo de ajuda, os procedimentos são todos pelo SUS, mas para se manter eles possuem diversos gastos.

– Se alguém gostaria de ajudar pode ser com dinheiro, fralda, lenço umedecido que gastamos bastante. Quando eu for pra Joinville vou ter que pagar para dormir em um quarto, porque o albergue é a 40 minutos do hospital e vou acabar gastando muito com transporte, já o quarto é R$ 40 por dia – enfatiza a mãe.

Interessados em colaborar podem fazer por meio de depósito: Banco do Brasil- Vanessa D. L. Teles, Agência: 0586-X, conta: 31.331-9. Para mais detalhes entre em contato pelo telefone (49) 99989-9002.


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais