Biometria: mais de dez mil xanxerenses poderão ter dados cancelados

7 de novembro de 2018 10:58 | Comunidade , Lance Notícias , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Biometria: mais de dez mil xanxerenses poderão ter dados cancelados Foto: Divulgação

Passadas as eleições, os trabalhos de cadastramento biométrico foram retomados no Cartório Eleitoral de Xanxerê. Para realizar o cadastro, o eleitor precisa comparecer no local munido de um documento de identificação com foto, comprovante de residência (últimos três meses) e, caso possua, o título de eleitor.

Em Xanxerê, mais de dez mil eleitores precisam fazer o cadastramento. Caso não seja feito, o mesmo terá seu título cancelado e, como consequência o abatimento de dados da Receita Federal, como por exemplo a suspenção do Cadastro de Pessoa Física (CPF).

“Foram retomados os trabalhos na segunda-feira. Provavelmente, no ano que vem vamos ter a revisão do eleitorado, e se for deflagrada a revisão, as pessoas que não fizerem o cadastramento biométrico, terão o título cancelado e tendo o título cancelado, as consequências, serão, como por exemplo, o abatimento dos dados da Receita Federal, que acaba suspendendo o CPF, e dentre outros números”, explica Clóvis Menegazzo Rodrigues, chefe do Cartório de Xanxerê.

Neste ano, a Justiça Eleitoral celebrou convênio com o Instituto Geral de Perícias (IGP), do estado de Santa Catarina, objetivando o compartilhamento de dados biográficos e biométricos coletados por essas instituições, por conta disso, quem conseguiu votar com a biometria, não precisa ir até o Cartório realizar o cadastro.

“Temos cerca de 70,09% do xanxerenses com biometria realizada. É um número bom, mas como em Xanxerê nós temos uma quantidade alta de eleitores, acaba refletindo. São 34.514 eleitores, destes 24.191 que já fizeram, mas 10 mil estão ainda por fazer. Por conta dessa quantidade é interessante que o pessoal venha, procure e faça, porque está bem calmo”.

Para realizar o cadastramento biométrico, o agendamento do horário pode ser feito por meio do: www.tre-sc.jus.br.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais