Bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios podem evitar a hipertensão

27 de abril de 2018 10:59 | Comunidade , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios podem evitar a hipertensão (Foto: Divulgação)

O dia 26 de abril é lembrado como o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, doença que, segundo Ministério da Saúde, atinge quase um terço da população adulta brasileira. Além disso, apesar das campanhas de conscientização, nos últimos 10 anos o número de pessoas com hipertensão no Brasil só aumenta.

São consideradas hipertensas pessoas com pressão arterial maior que 140/90 mmHg, mas, de acordo com a nova diretriz americana, esse parâmetro já baixou para 130/80 mmHg. A nutricionista do Hospital Regional São Paulo, Suellienn Centenaro destaca esse aumento dos casos de hipertensão.

“Apesar de estarmos em um movimento de cuidar da alimentação, fazer atividade física, ainda tem muita gente que procura o hospital, por ser referência em cardiologia, com a pressão alterada, já com o diagnóstico de hipertensão. Sabemos que o que aumenta a pressão é o consumo aumentado do sal, não só do sal em si, mas desses alimentos embutidos como queijo, salame, linguiça, caldos prontos, tudo isso ajuda a aumentar a pressão arterial”, destaca.

A enfermeira Thais Pavelski explica que para se ter o diagnóstico de hipertensão é preciso aferir a pressão três vezes em períodos distintos e nessas três vezes ela apresentar alteração. Após o diagnóstico o paciente é encaminhado para um acompanhamento com um cardiologista.

“O que costumamos atender aqui no hospital é aquele paciente que não está fazendo o tratamento, vem para o hospital e a gente precisa tratar essa emergência. Muitas vezes as pessoas começam a tomar a medicação, ela controla a pressão e a pessoa acha que não precisa mais do medicamento. Uma vez que você é diagnosticado como hipertenso você sempre vai ser hipertenso, é uma doença crônica, então se deixar de tomar a medicação a pressão pode voltar a desestabilizar”, frisa.

A nutricionista destaca que para prevenir a doença é preciso ter uma alimentação mais balanceada, associada com exercícios físicos. Vale lembrar que a obesidade é outro fator que aumenta as chances da pessoa desenvolver a hipertensão.

“Precisamos cuidar da alimentação, usar temperos mais naturais na hora de cozinhar, para dar um maior gosto no alimento e tentar reduzir o uso do sal. Claro, sempre junto com um exercício físico e se já tem o diagnóstico da hipertensão, associar isso aos medicamentos prescritos. Quanto a obesidade, a cada 10 quilos de peso que a gente perde conseguimos diminuir o nível da pressão, então o controle do peso é bem importante também”, esclarece.

Além disso, a enfermeira comenta que muitas vezes bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios podem cessar o uso do medicamento. Mas, vale lembrar que, como a hipertensão pode ser uma doença hereditárias, muitas vezes esse fator fala mais alto e mesmo mantendo bons hábitos a pessoa tem hipertensão e precisa seguir um tratamento medicamentoso.

Outro fator importante e preocupante é que cada vez mais cedo as crianças estão desenvolvendo hipertensão, pelo fator hereditário e também por manterem maus hábitos alimentares desde cedo, o que pode causar obesidade e isso desencadear outras doenças.

Sintomas

Thais comenta que alguns sintomas comuns de quem tem de pressão arterial elevada são torturas, dor na nuca, vertigens, visão embaçada, sangramento nasal. Normalmente quando há esses sintomas a pressão geralmente está bem elevada. Mas vale lembrar que essa doença pode ser silenciosa também e a pessoa não apresentar nenhum sintoma.

“O problema da hipertensão não é só a pressão alta em si, o problema são as consequências que ela traz para os órgãos alvo. A pessoa pode ter problemas renais, de visão, por exemplo, em consequência dessa pressão arterial alterada”, conclui a enfermeira.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais