Câmara adia votação de projeto que prevê gratificações a funcionários públicos de Ponte Serrada

19 de junho de 2018 15:30 | Política , região Compartilhar no Whatsapp
Câmara adia votação de projeto que prevê gratificações a funcionários públicos de Ponte Serrada Projeto será votado na sessão da Câmara de Vereadores da próxima segunda-feira (Foto: Jhonatan Coppini/Oeste Mais)

A Câmara de Vereadores de Ponte Serrada decidiu adiar a votação do projeto 002/2018, que trata sobre a concessão de gratificação financeira para parte dos servidores públicos da Prefeitura. Com isso, o texto encaminhado pela administração municipal, que seria votado nesta segunda-feira, dia 18, será apreciado pelo Legislativo na próxima semana, dia 25.

O adiamento foi requerido pelos vereadores Adenir Freitas, Milena Aparecida da Silva e Rubia Caroline Wrubel depois de um pedido feito pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Chapecó e Região (SITESPM), que pretende realizar uma assembleia na quinta-feira, dia 21, para tratar do assunto.

“Justificamos nossa reivindicação devido à polêmica que envolve o referido projeto junto à categoria dos servidores municipais”, disse o SITESPM por meio de uma nota. Depois da assembleia, na mesma quinta-feira, o órgão deverá se reunir com a administração municipal.

“Não sou contra o projeto das gratificações. Sou contra a forma como o projeto veio para essa casa. Isso é preciso que fique claro”, declarou a vereadora Rubia. “Do jeito que ele está hoje, é ilegal, e em muitos casos é também imoral. Por quê? Porque nós temos cargos onde a justificativa é exatamente igual ou muda apenas uma única palavra do cargo de origem desse funcionário”, acrescentou.

Ainda segundo ela, em muitos cargos as atribuições da função do servidor para justificar a gratificação são semelhantes ou até idênticas. “Cargo de origem é aquele em que o profissional já passou no concurso sabendo que seria essa a sua função. Então me parece que nós estaríamos aprovando uma lei onde se pagaria duas vezes pela mesma coisa”, completou Rubia.

Após acatar o requerimento para adiar a votação do projeto, o presidente da Câmara de Vereadores, Gilson Damaceno, também falou sobre o assunto ao final da sessão. Ele sugeriu que os vereadores, prefeito e representantes do sindicato se reúnam para ajustar o texto. “Ele precisa de algumas mudanças, não sei se grandes ou pequenas, mas precisa de mudanças para que todos os vereadores possam ter segurança para votar”, encerrou Gilson.

 

Informações Portal Oeste Mais


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais