Campanha do Agasalho: maior necessidade é por peças de inverno

14 de junho de 2016 10:51
Comunidade Compartilhar no Whatsapp
Campanha do Agasalho: maior necessidade é por peças de inverno As doações seguem até o dia 30 de junho. (Foto: Prefeitura De Xanxerê/Divulgação)

Todos os anos a prefeitura juntamente com a Assistência Social realizam a campanha do agasalho, que tem por objetivo arrecadar roupas, calçados, cobertas e artigos similares, para suprir as necessidades de famílias e indivíduos carentes na época mais fria do ano.

Neste ano, de acordo com Silvania Moretto que é coordenadora da campanha do agasalho 2016, apesar do frio ter se antecipado e também estar mais rigoroso as doações diminuíram “ Em função do tornado ano passado as pessoas doaram mais, até pela questão de fatalidade que aconteceu no município. Esse ano diminuiu um pouco as doações. A nossa maior falta é por roupas quentes de inverno, cobertores, roupas de lã, blusas, casacos, meias, calçados fechados, essa é uma demanda que sempre temos, mas ela nunca é suprimida, todo ano é o que mais aparece, mas nós nunca danos conta de atender”.

As doações acontecem até o dia 30 de junho e os pontos de coletas da campanha são os mercados, a rede municipal de educação, colégios particulares, rádios, TV, prefeitura, secretaria municipal de saúde e na assistência social.

Atendimento

De acordo com a coordenadora da campanha, para receber as doações as pessoas precisam se cadastrar no CRAS, “as famílias são atendidas conforme a demanda, elas precisam se direcionar até os CRAS que são dois em Xanxerê, um no Bairro Sufiatti e outro no Bairro Nossa Senhora de Lourdes. Eles demostram a necessidade por roupa e são encaminhados para a central de distribuição onde escolhem as peças para toda a família”.

Irresponsabilidade com as roupas doadas

Algumas, das muitas famílias atendidas pela Assistência Social, acabam descartando as roupas após o uso de forma incorreta. Isso, além de ser errado porque geralmente as coisas são jogadas em terrenos baldios, faz com que as pessoas que doam sejam desestimuladas. A justificativa encontrada é que muitas dessas pessoas não têm acesso a água e materiais para poder fazer uso da maneira correta. Silvania comenta sobre esses casos, “eu acredito que no município de Xanxerê, nos dias atuais, é muito difícil você encontrar uma residência que não tenha água, tanque e sabão. Se fosse um tempo atrás eu acredito que seja possível, mas atualmente não, isso não é desculpa. O nosso papel é entregar as roupas, agora não podemos estar presentes para ensinar que as pessoas precisam usar, lavar e guardar. Esse trabalho é cultural é de berço”.

Ela cita também que quando é feita a entrega das doações as famílias são orientadas para que essas atitudes sejam evitadas: “hoje é feito um trabalho para oferecer as roupas, mas é pedido para que não depositem as roupas e lugares inapropriados ou não se transforme em lixo, caso a pessoa não queira é só dar o destino correto. Mas nosso principal objetivo é atender a demanda, depois o que a pessoa ganha a responsabilidade é dela”.

Doações para os moradores de rua através do Plantão Social

Silvania comenta ainda que com os moradores de rua é realizado um atendimento especial: “o Creas faz o atendimento de vigilância social e atende essas pessoas que estão nessa situação em período diário. Durante à noite nós contamos com o plantão social, que foi implantado esse ano em função das várias demandadas que vinham nos feriados, no fim de semana e a noite. As denúncias eram que eles cometiam incêndios, invasões, esses fatos contabilizavam cerca de 30 casos por mês, então a polícia militar e o corpo de bombeiros, chamam o serviço que fica de plantão e os fatos são atendidos. Mas quando acontece de ter pessoas nas ruas nesses dias de frio, nós levamos roupas e cobertores, caso a pessoa queira permanecer onde ela está, fazem uso das doações, caso queira voltar para casa, nós encaminhamos elas, pois esse é o direito de ir e vir, não podemos obrigar ninguém a sair das ruas”, finaliza.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais