Cão bombeiro nascido e treinado em Xanxerê encontra homem inconsciente em meio a mata

28 de setembro de 2018 10:22 | Bombeiros , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Cão bombeiro nascido e treinado em Xanxerê encontra homem inconsciente em meio a mata Imagem Ilustrativa (Foto: Soldado BM Jackson Jacques)

Nesta semana, o binômio formado pelo Capitão Michels e pelo cão Chewbacca, foi acionado para uma ocorrência de busca em mata fechada na região de Canoinhas, sede no 9°Batalhão, do qual os dois fazem parte atualmente.

O Capitão Clemente Michels e seu cão Chewbacca atuaram por quatro anos em Xanxerê, inclusive, o bombeiro era sub comandante do 14º Batalhão quando, no ano passado, foi transferido para atuar em Canoinhas e Chewbacca nasceu aqui, filho do cão bombeiro aposentado Brasil.

“O Chewbacca, sem dúvidas, hoje é o nosso melhor cão em operação, tem provado isso nas ocorrências e certificações que participou. A ida do Capitão Michels para lá foi muito boa, pois a região Norte era desassistida, não tinha cães”, comenta o coordenador de cinotecnia do Corpo de Bombeiros Militar, tenente coronel Walter Parizotto.

Quanto a ocorrência, depois de cerca de quinze minutos do início das buscas naquela região, o cão Chewbacca sinalizou com latidos a localização da vítima. O homem estava inconsciente, hipotérmico (com temperatura corporal abaixo do ideal) e apresentando cianose. Após avaliação e primeiros socorros prestados pelos Bombeiros e equipe do Samu, o homem foi levado para atendimento médico especializado.

A família informou que o homem enfrentava problemas psicológicos e fazia uso de medicação controlada, apresentando sinais de comportamento suicida. Ele saiu de casa num momento de distração da família e adentrou a mata que circula a propriedade. Como estava escuro e o local não possui iluminação, a família resolveu acionar o Corpo de Bombeiros Militar para iniciar as buscas.

Depois de fazer uma varredura na região onde os familiares apontaram o desaparecimento do homem, o cão passou a sinalizar na direção oposta, para um local mais afastado que ainda não havia sido vasculhado pelas equipes. “O que chamou atenção na ocorrência foi o trabalho do cachorro, que conseguiu acessar a vítima numa situação em que nós Bombeiros não teríamos encontrado”, comenta capitão Michels.

Conforme Parizotto, na maioria das ocorrências em que há o acionamento dos binômios, a vítima acaba voltando para casa por si mesma, ou acaba sendo encontrada em óbito, em virtude de crimes ou acidentes.

“Nós que acreditamos e apostamos nesse tipo de trabalho só ficamos envaidecidos de ver situação como essa. Eu sempre acreditei na efetividade do serviço com cães e as estatísticas tem a cada dia reforçado isso e mostrado que o cão é extremamente eficiente e necessário e que precisamos ampliar o serviço de cães no estado, pois algumas regiões ainda não possuem cães”, conclui.

Com informações da assessoria de imprensa do CBMSC


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais