Carreta de Xanxerê é abordada com 400 kg de pasta base de cocaína

Material poderia gerar mais de 1 tonelada da droga em pó e estaria avaliado em R$ 10 milhões

19 de agosto de 2019 20:18 | Visualizações: 10914
Polícia Compartilhar no Whatsapp
Carreta de Xanxerê é abordada com 400 kg de pasta base de cocaína Foto: Correio do Povo

Cerca de 450 quilos de pasta base de cocaína pura foram apreendidas nesta segunda-feira (19) pela Polícia Rodoviária Federal na freeway, em Gravataí. A droga estava escondida em um compartimento falso na carroceria de uma carreta graneleira com reboque Volvo 440, com placas da cidade de Xanxerê.

O veículo foi abordado durante a madrugada no KM 80 da rodovia, sendo levado para um estacionamento nos fundos de um posto de combustíveis na área.

Pela manhã, o efetivo da PRF conseguiu romper o fundo falso do reboque onde estavam os tijolos do entorpecente. Um forte esquema de segurança foi montado no local, inclusive com apoio do helicóptero da instituição. Sem antecedentes criminais, o motorista e dono do caminhão, um homem de 37 anos, foi preso em flagrante.

O motorista tentou justificar que estava a caminho para buscar calcário. Houve a apreensão de uma pistola calibre 380 com carregador e três silenciadores. O caso foi repassado à Polícia Federal em Porto Alegre.

Segundo a PRF, a pasta base é muito valiosa e pode transformar-se, com acréscimo de outros produtos para engrossá-la, em mais de quatro toneladas de cocaína para a venda.

O chefe de operações da PRF no Rio Grande do Sul, o inspetor Marcelo Timóteo da Costa revelou que o setor de inteligência repassou uma informação da vinda ao Rio Grande do Sul de um carregamento de cocaína oriundo do Mato Grosso do Sul.

Uma operação de monitoramento da carreta foi montada, sendo acompanhada desde o momento em que ingressou no RS. Cães farejadores do 1º Batalhão de Polícia de Choque da Brigada Militar compareceram para confirmar a presença do entorpecente escondido na carroceira que estava vazia. Uma lona simulava o transporte de grãos.

 

Fonte Correio do Povo

Foto: Correio do Povo


Por: Carol Debiasi

Deixe seu comentário

Saiba Mais