Casa da Acolhida completa três anos dando auxílio à familiares de pacientes do hospital

23 de julho de 2018 19:10
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Casa da Acolhida completa três anos dando auxílio à familiares de pacientes do hospital (Foto: Divulgação)

Nesta quarta-feira (24) a Casa de Acolhida Santa Bernarda comemora três anos de fundação. Durante esse tempo, cerca de duas mil pessoas já passaram pela casa. Por dia, são cerca de dez hóspedes na casa que podem permanecer ali pelo tempo que for necessário.

A casa, que serve de referência de acolhida e descanso para acompanhantes de pacientes que permanecem internados no Hospital Regional São Paulo – ASSEC, de Xanxerê, é administrada pela Associação Beneficente de Voluntários Madre Bernarda.

O local depende exclusivamente de doações, pois não possui um recurso fixo mensal. Apesar de receber doações quase que diárias, a associação promove um brechó e desenvolve algumas ações ao longo do ano para arrecadar dinheiro que é usado para custear as despesas com água e luz e também atender às necessidades mais urgentes da casa, como compra de alimentos.

“Recebemos muitas doações: roupas, calçados, utensílios, como também alimentos. Às vezes recebemos bastante alimentos não perecíveis, mas falta carne. Por isso precisamos ter um dinheiro para poder atender a essas necessidades mais urgentes”, comenta a presidente da associação, Jussara Acadrolli.

As pessoas que se hospedam na casa têm todas as refeições garantidas e podem permanecer ali pelo tempo que for necessário, sem custo algum.

“As pessoas que chegam desprevenidas de roupa, fornecemos gratuitamente se a pessoa é muito carente ou vendemos a preços de no máximo cinco reais, que é para ajudar no custeio da casa, pagar despesas de água, luz, gás, alimentação. Aqui eles têm pouso e refeições garantidos”, explica a presidente.

Jussara destaca que as pessoas chegam na casa em uma situação complicada, muitas vezes tem um parente internado no hospital e não conhecem a cidade e a casa se torna um local de acolhida.

“Eles chegam em uma situação complicada, de vulnerabilidade, as vezes eles estão com um familiar no hospital que vai para a UTI e essa pessoa não tem para onde ir, pois não tem acompanhante lá. E na casa eles encontram pessoas que estão na mesma situação e essas pessoas se ajudam”.

A casa tem capacidade para hospedar até 20 pessoas, mas em apenas dois casos teve sua lotação máxima atingida, pois geralmente tem uma grande rotatividade nos hóspedes da casa.

“Os hóspedes da casa é que fazem o trabalho doméstico, fazem comida, mantém o local limpo, cultivam a horta, também para eles ocuparem a cabeça, porque só tem dois horários de visita e no resto do tempo eles não tem o que fazer, ai para não ficar pensando no familiar que está no hospital, eles ocupam a cabeça com isso”.

A associação conta com 50 voluntárias, sendo que seis ficam na Casa de Acolhida. Jussara destaca que podem acolher as pessoas é um trabalho extremamente gratificante.

“É muito gratificante fazer esse trabalho, poder ajudar essas pessoas. Criamos um vínculo com elas, mesmo que a estadia seja curta. Sentimos essa gratidão deles, eles se sentem acolhidos lá nesse momento difícil que estão passando, com uma pessoa internada no hospital”, declara.

Quem tiver interesse em contribuir com o local pode levar as doações diretamente na casa que fica localizada na Rua Anita Garibaldi, número 309, no centro de Xanxerê.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais