Casa de Acolhida atendeu mais de mil pessoas ao longo de 2018

5 de fevereiro de 2019 11:12
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Casa de Acolhida atendeu mais de mil pessoas ao longo de 2018 (Foto: Divulgação)

Desde sua fundação, há três anos, a Casa de Acolhida Madre Bernarda não fechou mais suas portas. Ela hospeda acompanhantes de pacientes que estão internados no Hospital Regional São Paulo (HRSP) e não tem onde ficar.

Na Casa, são oferecidas todas as refeições, banho e estadia pelo tempo que for necessário, sem custo algum. Sendo que, o local é mantido exclusivamente com doações, pois não tem um recurso fixo mensal. A Casa é coordenada pela Associação Beneficente de Voluntários Madre Bernarda, e, segundo a presidente, Jussara Accadrolli, a comunidade sempre foi muito solidária.

Após um período de menor movimentação na casa, que geralmente acontece nos meses de dezembro e janeiro, agora a procura por hospedagem no local volta a ser intensa.

– Os trabalhos estão seguindo, está tranquilo. Ontem (04) tínhamos 15 pessoas hospedadas.  Ganhamos muita coisa no fim do ano passado e início deste ano, estamos bem abastecidos. Acredito que neste ano vamos conseguir manter as atividades de forma mais fácil – comenta.

A Casa tem capacidade para atender até 20 pessoas e a procura pelo local é relativa e imprevisível.

Segundo Jussara, há sempre um bom feedback dos acompanhantes que ficam hospedados na casa, pois quando seus familiares ficam internados na UTI, os acompanhantes não tem onde ficar.

– O agradecimento das pessoas é muito grande, porque eles chegam perdidos, não esperam que vai acontecer algo com um familiar, ninguém está preparado para esse momento, aí vem para uma cidade que não conhece e o familiar quando interna na UTI, o acompanhante fica na rua, não pode ficar no hospital. É um momento de bastante incerteza para eles, porque a grande maioria não consegue pagar uma hospedagem – comenta.

 

Brechó

Ao longo de 2018, passaram pela casa cerca de mil pessoas e foram doadas mais de dez mil fraldas a pacientes do HRSP. Segundo ela, parte proveniente de doações e parte adquirida com valores da casa.

E, para auxiliar na compra de fraldas, será feita mais uma edição do brechó beneficente promovido pela Associação, aonde peças de roupas e calçados são vendidos pelo valor de R$ 1 e R$ 2.

– O que temos ganhado muito e não usamos são roupas e calçados que não servem para os pacientes e acompanhantes. Por isso, vamos organizar mais um brechó no mês de março. O valor arrecadado com ele garante a compra das fraldas que doamos todos os dias em grande quantidade no hospital, que é o que mais temos dificuldade de adquirir – conclui.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais