Casa Solidária: “Aqui nós recebemos o apoio para continuar a viver”, diz morador de rua

3 de maio de 2017 11:59
Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Casa Solidária: “Aqui nós recebemos o apoio para continuar a viver”, diz morador de rua Fotos: Rafaela Forchesatto/Lance Notícias

“Aqui na Casa Solidária nós conseguimos todo o apoio para continuar a viver”. Esse é o relato do Idacir Ribeiro da Silva, morador de rua há oito anos no município de Xanxerê. Atualmente, Kiko, como gosta de ser chamado, recebe atendimento da Casa Solidária São Francisco de Assis.

O lar existe aproximadamente há dois anos e atende cerca de 25 homens que são moradores de rua. Muitos deles são de cidades vizinhas e também de São Paulo e Mato Grosso. Preta Andreis, administradora da casa solidária, comenta que os moradores que frequentam o local e são mais debilitados, recebem tratamentos especiais no Paraná.

“Nós recebemos aproximadamente 25 homens, os mais debilitados passam por tratamentos na SOS Missão Vida Nova, no Paraná. Na última viagem nós fomos em 12 pessoas de Xanxerê e ficou quatro meninos fazendo tratamento. Neste encontro tivemos a presença de pregadores de várias cidades e também participamos de ministrações com louvores”.

Padre Nilto Tenutti, responsável pela Casa Solidária, comenta que o trabalho que o local realiza é uma atividade social que visa melhorar a vida dos moradores. “A Paróquia é a gestora do projeto. Isso é um projeto de questão social. Nós temos esse trabalho de acolhê-los na parte da manhã, fornecendo roupas, alimentos e suprindo um pouco das necessidades deles. Realizamos missas que ocorrem duas quartas-feiras por mês e todos são muito integrados. Eles têm uma espiritualidade muito bacana. É espontâneo”.

Idacir Ribeiro da Silva, mais conhecido como Kiko, é morador de rua há oitos, o mesmo já passou por tratamentos no Paraná.

“Eu frequento a casa desde que iniciou, sempre fui muito bem apoiado, por isso sempre permaneço, já fiz tratamento em Pato Branco e minha vida melhorou. Eu sou morador de rua há oito anos e escolhi essa vida depois que me separei da minha esposa. É nessa casa que encontro apoio para continuar a viver. O que precisamos é um lugar para abrigar os meus amigos que vivem na rua. Tem muitas pessoas que não tem onde ir, ficamos sem comer”, diz Kiko.

Rudinei Kaffer, de 47 anos, também é morador de rua e destaca que é na Casa Solidária que encontra apoio.

“A casa é nosso apoio. Nós só precisamos de roupas e algum lugar para dormir. Faz um ano que sou morador de rua, eu era motorista de caminhão e depois de problemas familiares eu vim morar na rua. Eu tenho família, tenho tudo, mas não converso com ninguém, só tenho apoio da Casa”.

Joel Carneiro de 27 anos, frequenta a casa a pouco tempo, mas comenta que o local é seu abrigo.

“Eu estou na rua desde 2009. Tenho 27 anos. Quando eu tinha 17 anos perdi meu pai e 20 anos minha mãe. Depois disso eu comecei a beber, já fui usuário de drogas e hoje só bebo. Meus dois irmãos estão presos. Eu bebo para me esquentar, senão eu passo frio. E a Casa é meu abrigo, tenho sorte que eles me dão comida”.

Ajuda

Apesar de todas doações que a casa recebe, a Casa Solidária precisa de ajuda, hoje eles não possuem uma quantidade para suprir a necessidades de quem frequenta o local e pedem a colaboração da comunidade de Xanxerê.

“Apesar de toda a ajuda que nós recebemos, o apoio que tivemos do Padre Domingos, precisamos de calçados masculinos, roupas íntimas masculinas, calças e moletons. Tudo para homens. Hoje estamos pagando aluguel, o valor é de R$500,00 e toda a ajuda é bem vida. Nós ainda não temos notícias da nossa nova casa, estamos aguardando o prefeito ai teremos novas posições. As doações podem ser entregues na Casa Solidária mesmo”, diz Preta.

A Casa fica localizada na Rua Gonçalves Lêdo, no Bairro Vista Alegre, próximo ao Celi Produtos de Aço LTDA.

         


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais