Casal xanxerense empreende e comercializa composteiras ecológicas

21 de janeiro de 2019 19:27 | Comunidade , Meio Ambiente , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Casal xanxerense empreende e comercializa composteiras ecológicas (Foto: Arquivo Pessoal)

O casal de xanxerenses Marluci Pozzan e Evandro Carlos Avi mantém há pouco mais de um ano uma empresa chamada Araçá Horta e Jardim. Os dois decidiram empreender, escolhendo a produção orgânica e sustentável.

O empreendimento surgiu quando o casal ficou desempregado e decidiram realizar um sonho. A proposta inicial era oferecer plantas e insumos. Mas, o sonho cresceu e hoje, além de comercializar produtos, também prestam auxílio a quem deseja montar sua horta ou jardim.

– A ideia inicial surgiu quando ficamos desempregados (eu e meu namorado) e queríamos empreender em alguma área relacionada a plantas. Então, inicialmente optamos por uma loja que oferecesse insumos para horta e jardim. Com o passar do tempo, fomos nos transformando para oferecer produtos mais sustentáveis, além das plantas. Foi quando iniciamos a produzir as mudas de chás e temperos, as composteiras e depois os módulos para jardim vertical – comenta Marluci.

Dentre os produtos comercializados, um deles é a composteira biológica, que pode ser colocada em qualquer lugar da casa, é discreta e não tem cheiro. O objetivo é dar um destino correto e sustentável aos resíduos orgânicos produzidos em casa.

– A composteira é feita com três compartimentos. O compartimento de baixo nós chamamos de coletor, porque ele coleta o chorume do resíduo adicionado nela. Os dois compartimentos de cima são chamados de digestores, porque neles são colocados os resíduos de casa. Para a composteira começar a funcionar você coloca minhocas no compartimento de cima e começa a alimentar com os resíduos, sempre cobrindo com serragem ou apara de grama para evitar a atração de insetos. Depois que você encher o primeiro compartimento, você começa a encher o segundo enquanto as minhocas vão degradando os resíduos lá do primeiro ainda. Assim você forma um ciclo, quando as minhocas terminam de degradar o que tem no compartimento você retira o composto pronto e recomeça tudo de novo. Esse processo se chama vermicompostagem, pois são as minhocas que “trabalham” – explica.

Disto, sai o adubo sólido e também o chorume. Ambos são utilizados para o plantio e auxílio no desenvolvimento de plantas. E, segundo Marluci, antes de abrir o negócio, o casal teve de estudar sobre o assunto, para poder oferecer produtos e serviços de qualidade. Conforme ela, a procura pelos produtos aumenta gradativamente.

– A procura por esse tipo de produto vem aumentando. Quando as pessoas percebem que ao invés de simplesmente descartar os resíduos orgânicos eles podem produzir adubo para sua horta ou para suas plantas ornamentais, eles desenvolvem uma consciência sustentável sobre esses resíduos e procuram pela composteira. Já vendemos composteiras por toda a região Oeste e também já enviamos algumas para cidades mais distantes. A prática da compostagem reduz nosso volume de resíduo que vai para o aterro sanitário e onera em serviço de coleta e destino adequado a toda a população – frisa.

 

Produto novo: jardim vertical

Agora, após os clientes solicitarem, o casal também fabrica e comercializa jardins verticais. Eles permitem que a pessoa tenha o seu jardim em casa, mesmo se o espaço for limitado.

– A demanda por jardim vertical surgiu dos nossos clientes. A partir disso fiz um curso de capacitação para poder produzir as próprias placas de plantio e também conhecer mais sobre irrigação e manutenção deste tipo de jardim. Ele exige alguns cuidados com mais regularidade do que os que são feitos no chão, principalmente com relação à irrigação e nutrição das plantas. Mas eles possuem benefícios fantásticos para manter a umidade do ambiente e garantir o bem estar de quem ocupa o espaço com o jardim – pontua.

De acordo com Marluci, manter o negócio é um desafio diário. Mas, também traz um sentimento de gratidão pelo fato de contribuírem positivamente com o meio ambiente.

– É um desafio diário, mas nos sentimos realizados em poder contribuir para o bem estar das pessoas e para um mundo melhor. O fato de ser um negócio diferente também nos tira da zona de conforto, pois sempre precisamos estudar e nos atualizar para trazer mais informações aos clientes – conclui.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais