Casos de HIV em Xaxim aumentaram em até 283% com relação ao ano passado

22 de agosto de 2018 15:55
Comunidade , Saúde , Xanxerê , Xaxim Compartilhar no Whatsapp
Casos de HIV em Xaxim aumentaram em até 283% com relação ao ano passado Foto: Divulgação

A regional de Xanxerê alerta a população quanto aos números de casos de HIV. Dentre os 14 municípios da região Amai, o que mais tem registrado novos casos é Xaxim.

De acordo com os dados repassados pela Secretaria Municipal de Saúde de Xaxim, somente neste, o aumento de casos de HIV chegou a 283% com relação ao ano passado. De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde de Xanxerê, Caroline Cenzi, em Xanxerê, a situação está equilibrada.

“Xaxim é o município da nossa região em que mais tem registros da doença. Em Xanxerê, a situação está equilibrada, está no mesmo ritmo do ano passado. Neste ano, Xanxerê registrou dez novos casos de Aids. No ano passado, tivemos o registro de 14 casos, para nós estamos na média”.

Conforme a coordenadora da Vigilância Epidemiológica do município de Xaxim, enfermeira Elizete de Souza, a Secretaria está atuando em diferentes frentes para prevenir a transmissão das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s). “Durante todo o ano, realizamos os testes rápidos, gratuitos e fidedignos do HIV, sífilis e hepatites em todas as nossas Unidades de Saúde e, ainda, as equipes realizam a busca ativa desses pacientes. Além disso, temos à disposição preservativos femininos e masculinos em todas as unidades e orientamos todos os grupos ligados à Secretaria e munícipes durante os atendimentos em saúde”, pontuou.

Segundo o secretário Municipal de Saúde de Xaxim, Davi Provenzi Machado, a população precisa se conscientizar.  “Apesar de investirmos em ações de prevenção, muitas pessoas continuam mantendo relações sexuais sem o uso do preservativo, o que está alastrando os vírus. A preocupação da Secretaria é grande e precisamos contar com a conscientização da comunidade para que novos casos não sejam registrados”.

Caroline Cenzi, frisa que todo o acompanhamento da doença é realizado pelo SUS. “Fica o alerta para a população, até porque o vírus está circulando, e para saber se tem a doença é preciso fazer o exame. O quanto antes souber, melhor. Com isso, mais perspectiva e qualidade de vida a pessoa terá. Vale ressaltar que todo o tratamento é pelo SUS, e o indicado é usar o preservativo sempre”.

 


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais