Cerca de 30 pessoas com deficiência buscam oportunidade de emprego em Xanxerê

25 de maio de 2017 15:08
Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Cerca de 30 pessoas com deficiência buscam oportunidade de emprego em Xanxerê Foto: Juarez matias / Varela Notícias

Em todo o país, 6,2% da população brasileira possui pelo menos um tipo de deficiência, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério da Saúde. E, para garantir a inserção desses milhões de brasileiros no mercado de trabalho, há pouco mais de 25 anos existe a Lei de Cotas (n°8.213/91). Para tanto, esses profissionais ainda encontram dificuldades para serem inseridos no mercado do trabalho, inclusive aqueles que possuem cursos técnicos e que estão aptos a contribuir com as funções de determinada empresa.

Em Xanxerê, essa realidade da falta de contratação é presenciada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comde). Por conta disso, acontece na próxima segunda-feira (29), em parceria com CDL e Acix, um encontro com empresários e pessoas com deficiência para abordar esse tema. A reunião será no auditório da AEEX, no Edifício Tiradentes, a partir das 19 horas.

Segundo a presidente do Comde, Kátia Colello, há aproximadamente 30 pessoas com deficiência que estão qualificadas e que buscam uma oportunidade de trabalho nas empresas de Xanxerê. A ideia de fazer esse encontro com os empresários surgiu justamente da demanda sentida e, por isso, a presidente convida todos para esse encontro na próxima semana.

“Na última reunião do Comde essa pauta foi levantada pelos representantes referente à inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Nós recebemos muitas ligações de empresas para contratar pessoas com deficiência por causa da cota, mas a empresa alega que a pessoa com deficiência não vai de fato ajudar, apenas ocupar a vaga para cumprir a lei. Somos contrários a essa ideia e queremos mostrar aos empresários que o colaborador com deficiência pode sim exercer uma função que venha ser útil e que o empresário veja o potencial de ajuda no trabalho”, comenta a presidente.

No encontro, empresários da região que contrataram colaboradores com deficiência estarão contando suas experiências. Segundo a legislação, se a empresa tem entre 100 e 200 empregados, 2% das vagas devem ser garantidas a beneficiários reabilitados e pessoas com deficiência, habilitadas – a porcentagem varia de acordo com o número de contratados, chegando a um máximo de 5% caso haja mais de 1.001 funcionários.

Dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) indicam que, caso as empresas seguissem a lei, pelo menos 827 mil postos de trabalho estariam disponíveis para essas pessoas, mais de 7 milhões de cidadãos que se enquadram nas exigências da legislação. Entretanto, apenas 381.322 vagas foram criadas. (Com informações do Portal Brasil)

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais