Coluna Viver Bem: o que é um infarto agudo do miocárdio e como reconhecê-lo?

23 de novembro de 2018 09:03 | Coluna Bem Viver , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Coluna Viver Bem: o que é um infarto agudo do miocárdio e como reconhecê-lo?

Bom dia pessoal, hoje falaremos sobre o infarto do coração! Você sabe quais os sintomas e como reconhecê-lo?

Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 300 mil infartos acontecem por ano no Brasil e, desses, 80 mil acabam sendo fatais ou por não receberem o tratamento adequado ou por não controlarem os fatores de risco que podem desencadear a doença. Por conta da evolução tecnológica com o passar dos anos, a taxa de mortalidade, atualmente, compõe cerca de 4 a 5% de todos os casos, ou seja, 10 vezes menor do que 50 anos atrás.

O infarto ocorre por uma insuficiência de sangue oxigenado na área do coração devido principalmente a obstrução de uma artéria coronária. Por conta do sangue não conseguir fluir na região, o músculo entra em um processo de necrose, o que pode levar o paciente à morte, essa obstrução geralmente é um coagulo que bloqueia a passagem de sangue dessa coronária, deixando de irrigar uma parte do músculo, começando assim o processo de necrose do miocárdio (musculo cardíaco). Então, quanto mais tempo demorar a iniciar o tratamento, maior o dano para o coração.

Felizmente, algumas formas de tratamento de abertura da artéria ocluída, podem interromper um Infarto Agudo do Miocárdio. Realizados imediatamente após o inicio dos sintomas, estes procedimentos podem prevenir ou limitar o dano ao coração. Quanto mais cedo iniciar, maior será o benefício e maior a chance de recuperação completa.

 

E agora? Quem corre maior risco de sofrer um Infarto do miocárdio?

Para os homens, o risco de infarto aumenta depois dos 45 anos, para as mulheres, são mais prováveis de ocorrer depois da menopausa (geralmente, depois dos 50).

Além da idade, fatores que aumentam o risco de ataque cardíaco são:
– Infarto prévio ou angina
– Pai ou irmão com infarto diagnosticado antes da idade de 55 anos
– Mãe ou irmã com infarto diagnosticada antes da idade de 65 anos
– Diabetes
– Colesterol alto no sangue
– Pressão alta
– Fumo
– Obesidade
– Sedentarismo

 

Você sabe quais são os sintomas de infarto e o que fazer caso suspeite que você ou alguém da sua família esteja tendo um infarto? Os principais sinais e sintomas são:

 

  • Desconforto torácico – A maioria envolve desconforto no centro do peito que dura mais do que alguns minutos, ou que vai embora e retorna. O desconforto pode ser sentido como pressão ruim, aperto, estufamento, ou dor.
  • Desconforto em outras áreas da parte superior do corpo – Pode incluir dor ou desconforto em um ou nos dois braços, nas costas, pescoço, mandíbula, ou estomago.
  • Falta de ar – Pode ocorrer com ou sem desconforto no peito.
  • Outros sinais – Podem incluir suor frio, náusea, ou sensação de desfalecimento.

 

Nesse momento é importante lembrar que os minutos são importantes! Qualquer um com sinais de alerta para infarto precisa de tratamento médico urgente. Não espere mais do que alguns minutos para ligar para a emergência. Ligando para a emergência e chamando uma ambulância você vai chegar ao hospital da maneira mais rápida além de ser avaliado por uma equipe preparada e que saberá o melhor lugar para encaminhar você, além de já iniciarem o tratamento inicial.

É normal sentir duvidas se realmente está tendo um infarto. Muitas pessoas imaginam que um infarto tem inicio súbito e intenso, como um infarto de cinema ou novela, quando a pessoa aperta seu peito e cai. A verdade é que muitos infartos começam insidiosamente como uma dor discreta ou apenas desconforto. Alguém que tem os sintomas não tem certeza que algo esta errado. Sintomas podem vir e desaparecer. Mesmo pessoas que já tiveram um infarto podem não reconhecer os novos sintomas, porque podem ser bem diferentes do infarto anterior. Na dúvida, sempre é melhor prevenir e ser avaliado por um médico.

No hospital serão realizados todos os procedimentos necessários para diagnóstico e tratamento, o importante é vocês reconhecerem os sintomas e buscar ajuda o quanto antes.

O principal é a prevenção, levar uma vida com hábitos saudáveis, praticar atividade física regularmente e tratar adequadamente as doenças que aumentam o risco de doença cardiovascular, como o diabetes e hipertensão. Cuide da saúde do seu coração!!

 

Até semana que vem pessoal!

 

Dra. Daiana Dambroso

 

 

 

 


Por: Patricia Silva

Deixe seu comentário

Saiba Mais