Conheça a história da Xuxa, personagem das ruas de Xanxerê

8 de novembro de 2018 19:04 | Comunidade , Variedades , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Conheça a história da Xuxa, personagem das ruas de Xanxerê Foto: Arquivo Pessoal

Ela é conhecida por todos os xanxerenses e, se caso alguém nunca tenha a visto, pelo menos já ouviu falar. Com gargalhas irreconhecíveis a Terezinha Aparecida, mais conhecida como Xuxa, chama a atenção por onde passa.

Maria Catarina Brinker, é tia da Xuxa e responsável pela sua guarda, segundo ela, a Xuxa possui Síndrome de Down e passear pelas ruas da cidade é uma escolha dela.

“Eu cuido da Nilva e da Tere, que é a Xuxa. Elas são irmãs e as duas tem Síndrome de Down. Estou com a guarda delas desde 1985, quando o pai delas faleceu. Batalhei muito com elas. A Tere vive nas ruas, desde criança, é uma escolha dela”.

De acordo com a tia, as duas irmãs vivem em uma casa, localizada no Bairro Tacca. “Todo o mês eu faço compras para a casa delas. Bolacha, que é o que ela pede, nunca faltou. A Tere sempre andou nas ruas, era direto, mesmo quando o pai delas era vivo. Era o dia inteiro, as duas, e a Tere se acostumou. Não há nada que tire isso dela. Um tempo ela veio me ajudar, mas não conseguiu ficar sem ir para as ruas”, diz Maria.

Sobre o apelido de Tere, Maria diz que não há um motivo. “Apelidaram ela disso, aqui na cidade e ficou. Por todos os lugares ela é conhecida por Xuxa. Eu sempre digo que Deus me deu essa missão e eu vou cumprir até quando eu estiver aqui. Eu tenho muita preocupação com elas, visito ela todos os dias. Ela tem onde ficar, tem casa dela, tem tudo. Mas ela foge e vai para a rua”.

Com 50 anos, Xuxa anda pelas ruas da cidade acompanhada de uma boneca. A tia diz que ela sempre gostou do brinquedo desde pequena e que isso é um instinto maternal da xanxerense.

“Ela sempre gostou de maternidade, de bonecas. Mas o comentário de que ela tinha um bebê, é mentira. Como ela perde, roubam, ou ela doa as bonecas, acredito que ela já teve umas 50. Mas ela nunca larga”.

Por ser uma situação delicada, Maria pede que a comunidade em geral não dê bebidas alcoólicas para Tere.

“O pessoal gosta de fazer brincadeiras com ela. Mas esse é meu pedido, até porque uma época ela ia para os bares e embebedaram ela, foi quando ela ficou em coma alcoólico. Cansamos de ir recolher ela nas noites, que ela estava mal”.

Maria diz ainda que Xuxa é atração da cidade e por onde ela vai e a reconhecem comentam sobre ela. “Quando eu vou no médico e falo que sou tia dela, todos conhecem. Ela é atração. Eu acredito que ela já caminhou mais de mil quilômetros, mas ninguém consegue fazer com que ela pare com isso”, conclui.


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais