Conselho Tutelar de Xanxerê recebeu cerca 50 denúncias de violência e abuso sexual em agosto

4 de setembro de 2018 11:05 | Comunidade , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Conselho Tutelar de Xanxerê recebeu cerca 50 denúncias de violência e abuso sexual em agosto Vítimas do sexo feminino são a maioria entre as vítimas de violência sexual entre crianças e adolescentes (Foto: Roos Koole/ANP/Arquivo G1)

Desde o dia 18 de maio, lembrado anualmente como o Dia Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual Infantojuvenil e marcado pela ação do Dia do Abraço, organizado pelo Fórum Municipal pelo Fim da Violência e Exploração Sexual Infantojuvenil de Xanxerê, as denúncias de violência e abuso sexual têm aumentado no município.

Conforme o presidente do Conselho Tutelar, Ivair Alves, desde aquele mês a média mensal era de cerca de 20 casos que chegavam até o Conselho. Ademais, só no mês de agosto foram recebidas cerca de 50 denúncias de violência e abuso sexual. Em comparação aos outros meses, as denúncias registradas em agosto representam um aumento de cerca de 150%.

Ivair explica que cada caso é estudado separadamente e a equipe tem um cuidado especial para confirmar se houve a violência e realizar os encaminhamentos.

“Cada caso é estudado separadamente. A grande maioria vai para atendimento no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), acompanhamento psicológico. Primeiro é avaliado se o caso é verídico, se houve a violência, e depois são feitos os encaminhamentos necessários. Nós fizemos a primeira abordagem e o encaminhamento das vítimas”, comenta.

Segundo Ivair, esse aumento não quer dizer, necessariamente, que os casos aumentaram, mas sim, que as vítimas se sentem mais seguras em denunciar.

“Depois que foi começado a divulgar mais nós começamos a receber mais denúncias, foram registrados mais Boletins de Ocorrência, as pessoas começaram a buscar mais”.

Um boletim epidemiológico divulgado em junho deste ano pelo Ministério da Saúde mostra que, entre 2011 e 2017, o Brasil teve um aumento de 83% nas notificações gerais de violências sexuais contra crianças e adolescentes. No período foram notificados 184.524 casos de violência sexual, sendo 58.037 (31,5%) contra crianças e 83.068 (45,0%) contra adolescentes.

A maioria das ocorrências, tanto com crianças quanto com adolescentes, ocorreu dentro de casa e os agressores são pessoas do convívio das vítimas, geralmente familiares. O estudo também mostra que a maioria das violências é praticada mais de uma vez.

O Ministério da Saúde considera violência sexual os casos de assédio, estupro, pornografia infantil e exploração sexual. Dentre as violências sofridas por crianças e adolescentes, o tipo mais notificado foi o estupro (62,0% em crianças e 70,4% em adolescentes).

Pela lei brasileira o estupro é classificado como o ato de “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”. Segundo o boletim do Ministério da Saúde, a ocorrência do estupro provoca diversas repercussões na saúde física, mental e sexual de crianças e adolescentes, além de aumentar a vulnerabilidade às violências na vida adulta.

 

Com informações do G1


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais