Coordenadora de saúde destaca importância da vacinação em dia

25 de setembro de 2017 10:54
Comunidade , Lance Notícias , Saúde , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Coordenadora de saúde destaca importância da vacinação em dia (Foto: Divulgação)

A vacinação é o meio mais seguro e eficaz de proteção contra doenças. O Brasil é conhecido por ter um dos melhores programas públicos de vacinação do mundo, oferecendo de forma gratuita, os principais imunizantes.

De acordo com coordenadora da Vigilância em Saúde de Xanxerê, Caroline Cenzi, a vasta opção de vacinas, já controla diversas doenças, que afetam principalmente as crianças.

“ O SUS tem uma vasta opção de vacinas que previnem, ao menos as principais doenças graves na infância, e alguma doenças que já estão controladas, a exemplo do sarampo, rubéola, poliomielite, que são doenças já controladas a nível de Brasil. Por isso, a importância de continuar e manter-se a vacinação em dia, a caderneta de vacina em dia das crianças”, destaca.

Atualmente, existem alguns grupos antivacinação, que optam por não vacinarem os seus filhos, essas pessoas, espalhadas principalmente pelas redes sociais, apontam, sem base científica, efeitos colaterais que as vacinas oferecem a população.

A coordenadora, destaca que as vacinas são seguras e inibem a transmissão das doenças.

“A vacina é importante porque provoca a imunidade dentro do organismo da pessoa para combater certos tipos de doença, que são as doenças preveníveis pela vacina. Elas são seguras, o objetivo delas é ter o máximo de eficácia e proteção contra essas doenças. Toda a pessoa que tem uma doença transmissível, dependendo o tipo dela corre o risco de estar transmitindo para outras pessoas”.

A não vacinação torna as pessoas expostas a todos os tipos de vírus.

“ É importante sim, deixar de vacinar a criança, por exemplo, é fazer com que ela se torne suscetível ao entrar em contato com o agente agressor, aquele que vai causar a doença, e vai ter também, um risco maior de contrair a doença”, finaliza.

Com informações O Estadão


Por: Alessandra Bagattini

Deixe seu comentário

Saiba Mais