Corpo de Bombeiros discute protocolos e diretrizes para atendimento integrado ao Samu

19 de julho de 2018 11:55
Bombeiros , Comunidade , Obras , Xanxerê Compartilhar no Whatsapp
Corpo de Bombeiros discute protocolos e diretrizes para atendimento integrado ao Samu (Foto: Patrícia Silva/Lance Notícias)

Ainda no mês de março deste ano, o governador Eduardo Pinho Moreira assinou edital para a integração do serviço de atendimento pré-hospitalar realizado pelo Corpo de Bombeiros e pelo Samu com a Secretaria de Estado da Saúde.

Desde então, os batalhões do Corpo de Bombeiros iniciaram tratativas para integrar efetivamente o atendimento, pois há várias questões burocráticas e estruturais que precisam ser adequadas.

Segundo o subcomandante do 14º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Xanxerê, major André Luiz Grigulo, na tarde da quarta-feira (18), houve uma videoconferência entre as corporações do estado para tratar sobre diretrizes e protocolos para o atendimento integrado.

“Hoje, o Samu já está dentro de muitos quartéis do Corpo de Bombeiros no estado, mas não temos uma relação de trabalho, de hierarquia, e, com essa união, vai ter um pouco mais, vamos ficar mais unidos. Estamos alinhando os protocolos e diretrizes e também estamos discutindo sobre as ordens administrativas e resolvendo vários processos burocráticos”.

Grigulo comenta que a expectativa é que os socorristas trabalhem de forma conjunta para atender à comunidade de forma mais eficiente.

“Vamos tentar ter um entrosamento melhor. A ideia é dar uma contrapartida do que temos de bom para implantar para eles e ter o atendimento pré-hospitalar do estado para melhorar o atendimento para a comunidade, que é o nosso objetivo. Ainda recebemos reclamações da comunidade e queremos ver onde estão acontecendo essas falhas para melhorar”, destaca.

Além disso, outro ponto que está sendo discutido é também a integração das centrais de emergência do 192 e 193. Hoje, a central do Samu está em Florianópolis e, o 193 está descentralizado nos batalhões. A intenção é que as duas sejam integradas, para que cada batalhão possa deslocar as viaturas no menor tempo possível.

“Temos de fazer um alto investimento. Cada batalhão vai precisar investir mais de R$ 500 mil para ter um sistema que funcione e para que ele possa deslocar uma viatura de qualquer lugar do estado; então, isso acontece de forma lenta, porque não temos investimento forte do estado: vamos fazendo conforme temos recursos”, destaca.

Além disso, o quartel de Xanxerê atualmente passa por reformas para melhorar essa integração, pois será construída uma sala de assepsia destinada ao Samu, a qual o Corpo de Bombeiros irá auxiliar na parte administrativa.


Por: Alessandra Oliveira

Deixe seu comentário

Saiba Mais